Resenha #120 | F*ck Love, de Tarryn Fisher | Editora Faro Editorial

Sinopse: Helena Conway se apaixonou. Contra sua vontade. Perdidamente. Mas não sem motivo.Kit Isley é o oposto dela desencanado, espontâneo, alguém diferente de todos os homens que conheceu. Ele parece o seu complemento. Poderia ser tão perfeito... se Kit não fosse o namorado da sua melhor amiga. Helena deve desafiar seu coração, fazer a coisa certa e pensar nos outros. Mas ela não o faz... Tentar se afastar da pessoa amada é como tentar se afogar. Você decide fugir da vida, pulando na água, mas vai contra a natureza não buscar o ar. Seu corpo clama por oxigênio sua mente insiste que você precisa de ar. Então você acaba subindo à superfície, arfando, incapaz de negar a si mesma essa necessidade básica de ar. De amor. De desejo ardente. Você pode pensar que já viu histórias parecidas, mas nunca tão genuínas como essa. Tarryn, a escritora apaixonada por personagens reais, heroínas imperfeitas, mais uma vez entrega algo forte, pulsante, que nos faz sofrer mas também nos vicia. Depois dela, todas as outras histórias começam a parecer como contos de fadas. Se você não quer se viciar, não leia a primeira página.
F*ck Love | Tarryn Fisher | 288 páginas | Faro Editorial | Avaliação: 4,5/5 | Skoob

A confusão história começa quando Helena tem um sonho pra lá de esquisito, onde ela vê seu futuro; o problema é que nesse sonho Helena tem uma vida incrível casada com Kit Isley. Tá, até aí tudo bem, se não fosse pelo fato de que, na realidade, Kit é namorado de Della e que Helena namora Neil. Aí você vai dizer: "Foi só um sonho, não é a realidade, Lara!". Sim, seria dessa forma se o sonho não tivesse mexido tanto com Helena ao ponto de ela mudar sua personalidade, mudar seus gostos, até ficar realmente muito parecida com a Helena que viu.

Helena e Neil estavam muito próximos e tendo um bom momento, aparentemente, até que Helena descobre que ele a traíra e que teria um filho com a moça. Tudo termina e, por Della ser a melhor amiga de sempre de Helena, ela acaba consequentemente ficando mais próxima de Kit; quando saía com os dois ou quando ele ia na casa dela atrás de algo da Della, eles acabavam conversando e descobrindo que tinham mais em comum do que pensavam, mas nossa protagonista se sentia muito culpada, afinal, ela não podia estar apaixonada pelo namorado de sua melhor amiga, jamais!

- É mesmo? - Kit responde com voz suave. - E que sonho foi esse?

Helena faz de tudo para fugir dessa paixão e, enquanto vamos acompanhando essa luta dela, não tem como não entrar de cabeça na história e se colocar no lugar dela. No começo fiquei muito brava, pois pensei "Você não pode ser idiota desse jeito! Roubar o namorado da sua melhor amiga por causa de um sonho?", mas depois vamos percebendo que o que o sonho fez, na verdade, foi mostrar para Helena que ela era muito mais do que aquela moça apagada, amante do bege que ninguém notava onde passava. Ela amadureceu e apesar de continuar usando muita roupa bege agora ela se solta para o mundo e faz coisas que nunca teria imaginado, se muda, aprende uma nova arte, porém sem nunca esquecer Kit.

- Você também precisa de você, Helena. - é a primeira coisa que ele me diz. E então começo a chorar. É uma idiotice, porque nada de ruim aconteceu comigo. Não tenho esse direito.

Della e Helena já eram amigas desde antes da riqueza entrar para a vida de Della, porém essa amizade sempre foi destrutiva para Helena e ela nunca se deu por conta. Sempre esteve atrás da amiga, como uma sombra, fazendo todas as suas vontades e alimentando ainda mais o ego de Della. Eu não culpo Della pelas suas atitudes, não sei se eu não teria feito o mesmo se minha melhor amiga tivesse se apaixonado pelo meu namorado, porém ela sempre teve tudo na vida e isso acaba deixando as coisas um pouco cruéis quando saem da boca dela.

Kit é um rapaz muito legal. Escreve livros e quando conversa com Helena sente que ela é sua musa inspiradora, então ela é a primeira pessoa para quem ele mostra seus escritos. A vida de Kit com Della e com Helena dá muitas reviravoltas até o final do livro, então é muito difícil falar sobre as qualidades dele sem soltar spoilers, mas saibam que ele é muito leal e mesmo correspondendo ao amor de Helena, sacrifica-o em algum momento devido a lealdade que deve à Della.


O livro é narrado em primeira pessoa por Helena, é dividido em quarenta e oito capítulos, todos iniciados com hashtag, uma mais divertida e diferente que a outra. No início de cada capítulo temos também um trabalho muito bonito, um desenho com flores que deu um charme pro livro.

F*ck Love, me prendeu do início ao fim. Eu li o livro em apenas algumas horas divididas em dois dias, pois eu não conseguia largá-lo, precisava desesperadamente saber o que iria acontecer. Eu chorei, eu ri, eu entrei na vida dos personagens, porém o que me desagradou é o que o final foi previsível. Foi um ótimo final, sim, porém o enredo me deixou com a expectativa muito alta e acabei imaginando várias coisas diferentes, foram tantas reviravoltas que eu já nem sabia se o melhor era aquilo para os dois. Enfim, resumindo tudo isso, esse livro é maravilhoso e eu recomendo para todos que gostem de um romance cheio de reviravoltas.

 Acompanhe-nos:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[Divulgação] Zip Anúncios