Resenha #119 | O Príncipe Corvo, de Elizabeth Hoyt | Editora Record

Sinopse: Ao descobrir que o conde de Swartingham visita um bordel para atender suas "necessidades masculinas", Anna Wren decide satisfazer seus desejos femininos... com o conde como seu amante.
Chega uma hora na vida de uma dama...
Anna Wren está tendo um dia difícil. Depois de quase ser atropelada por um cavaleiro arrogante, ela volta para casa e descobre que as finanças da família, que não iam bem desde a morte do marido, está em uma situação complicada.
Em que ela deve fazer o inimaginável...
O conde de Swartingham não sabe o que fazer depois do que dois secretários vão embora na calada da noite. Edward de Raaf precisa de alguém que consiga lidar com seu mau humor e comportamento rude.
E encontrar um emprego.
Quando Anna começa a trabalhar para o conde parece que ambos resolveram seus problemas. Então ela descobre que ele planeja visitar o mais famoso bordel em Londres para atender a suas necessidades "masculinas". Ora! Anna fica furiosa - e decide satisfazer seus desejos femininos... com o conde como seu desavisado amante.
O Príncipe Corvo | Elizabeth Hoyt | Editora Record | 340 páginas | Avaliação: 4/5 | Skoob

Anna Wren, viúva à seis anos, vive em um pequeno chalé com Mãe Wren - sua ex sogra que a trata como uma filha - e Fanny, uma jovem criada.

Seu falecido marido, Peter, não lhes deixou grande fortuna, já que havia tido alguns problemas financeiros pouco antes de sua morte. Devido a isso, elas se encontram em uma situação difícil, com pouca comida e a criada inexperiente não ajuda em nada quando queima a comida várias vezes durante a semana. 

Então, mesmo que o trabalho não seja algo para uma dama - lembrando que essa história se passa no ano de 1760 -, Anna decide procurar emprego a fim de melhorar a vida delas. Para sua sorte, o conde recém chegado a cidade está precisando de um secretário e Anna deixa seu assistente sem reação ao se candidatar para a vaga sem aceitar não como resposta. Não que o assistente fosse conseguir outra pessoa, já que o conde Edward tem um temperamento que afasta todos ao seu redor.

Aurea encarou o marido, horrorizada. Então os primeiros raios da autora penetraram o palácio, através da alta da janela e desceram sobre o príncipe, e sua forma começou a encolher e convulsionar.

Assim, Anna começa seu trabalho como secretária e acaba agradando ao conde, que para seu tormento acaba gostando demais da companhia da respeitada viúva. Para tentar esquecer desses pensamentos pecaminosos com a sua secretária, conde Edward decide viajar à Londres para visitar o famoso bordel Grottho de Aphrodite. 

Anna acaba descobrindo o destino de Edward e procura saber mais sobre esse bordel, descobrindo que lá é muito comum as damas aparecerem mascaradas e escolherem o homem com quem querem passar a noite. Cobrando um certo favor, Anna consegue ir ao bordel e convocar a presença de Edward em um dos quartos. Mascarada, com os cabelos soltos e com uma roupa provocante, nunca que Edward poderia imaginar que a mulher que ele estava tentando esquecer, estaria ali bem na sua frente. 

Será que Edward descobrirá? Como ficará o coração de Anna? Ele seria capaz de perdoá-la por enganá-lo ? Deveria?

Aurea esperava que o corvo jantasse também, mas ele não apareceu, e ela fez a refeição sozinha.

O Príncipe Corvo, de forma até leve, trata bastante do papel da mulher naquela sociedade da época. Anna é uma viúva muito corajosa e a frente de sua geração, não se importa com as fofocas, sai a procura de emprego, ajuda prostitutas em perigo e não baixa a voz diante de um homem. 

Anna foi casada durante quatro anos com Peter e os últimos anos foram os mais difíceis, devido a incapacidade dela de engravidar. Não vou entrar em detalhes sobre o assunto aqui, porém não posso deixar de mencionar a ponta solta que foi deixada no livro sobre esse assunto, quando "magicamente" acontece uma reviravolta e nada é explicado, apenas jogado na história. Esse foi o ponto que me desagradou, me decepcionando bastante já que aconteceu no final do livro, quando acreditei que tinha me apegado a uma ótima história, sem furos.

O Corvo voou com Aurea por mais um dia e por mais uma noite, e tudo que ela viu nesse período pertencia a ele. Aurea tentou compreender tamanha riqueza, tamanho poder, mas isso estava além de sua compreensão.

O conde Edward tem um temperamento muito forte, está sempre descontente e isso acabava afastando todos de perto de si, menos Anna que era a única que conseguia enfrentá-lo. Porém, ele não era assim sem motivos, Edward perdeu toda sua família por conta de uma doença chamas varíola, sendo ele o único sobrevivente, tendo ficado com algumas sequelas que o incomodam e causam uma enorme insegurança. 

Porém, apesar de durão, conde tem um amigo muito fiel, seu cachorro a quem ele não havia dado um nome ainda. O cachorro estava com ele em todos os lugares e também esteve com Anna quando ela precisou. Definitivamente o melhor personagem é - como Anna resolveu chamá-lo - Jock. 

O livro todo é narrado em terceira pessoa, mostrando em cada um dos vinte e dois capítulos, o ponto de vista de Anna ou de Edward, contendo cenas explícitas em alguns. Todos os quotes mencionados aqui, são de trechos de uma história que é contada no início de cada capítulo, a história de Aurea e do Príncipe Corvo. No final do livro também nos foi disponibilizado um trecho do próximo livro: O Príncipe Leopardo. 

Apesar do meu desapontamento com a recém citada ponta solta na história, o livro é ótimo e recomendo para todos que gostam de um romance de época apimentado.

O príncipe sorriu, e seus olhos de ébano reluziam.
- Seu amor, Aurea. Seu amor rompeu a maldição... 
Acompanhe-nos:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[Divulgação] Zip Anúncios