Resenha #110 | O Colecionador, de Nora Roberts | Editora Bertrand Brasil

"Suspense de roer as unhas... Os leitores não desgrudarão os olhos." - Publishers Weekly
Sinopse: Romance, ação e mistério em uma narrativa exemplar de Nora Roberts. Quando Lila Emerson testemunha um assassinato/suicídio do apartamento onde trabalha, a vida muda de maneira drástica. O artista Ashton Archer sabe que seu irmão seria incapaz de praticar tamanha violência — por isso, recruta Lila, a única testemunha ocular, para ajudá-lo a descobrir o que realmente aconteceu. Atribuindo a intensa atração que sentem um pelo outro ao calor do momento, Lila concorda em ajudar Ash a tentar descobrir quem matou seu irmão e por quê. Desde os alpendres de Manhattan até as grandes casas de campo italianas, sua investigação os atrai para um círculo seleto, onde valiosas antiguidades são compradas, vendidas, apostadas e roubadas; onde você é aquilo que possui; e onde o que você deseja se torna uma obsessão mortal...
O Colecionador | Nora Roberts | 462 páginas | Bertrand Brasil | Avaliação: 5/5+ | Skoob

Todo o enredo de O Colecionador, de Nora Roberts, gira em torno do desaparecimento de artefatos históricos de grande valor e importância e de assassinatos de pessoas que, de alguma forma, estiveram envolvidos com tais objetos. A história é permeada por dúvidas e suspenses sobre o destino dos artefatos e a identidade da pessoa que está encomendando todas as mortes.

Lila Emerson trabalha como cuidadora de casas e ama seu trabalho, uma vez que ele lhe permite conhecer novos bairros, cidades e, consequentemente, fazer amizade com diversas pessoas, desde os donos das casas, vizinhos e até porteiros de prédios. Por onde passa, ela cativa a atenção de todos por seu carisma e dom de conseguir qualquer informação ao conversar e ouvir todo e qualquer tipo de história. O trabalho é sempre bem calmo e ela divide o tempo entre cuidar dos animais de estimação que quase todos os donos têm e escrever a continuação de uma série sobre lobisomens adolescentes.

Lila sempre gostou de observar as pessoas, tanto para se distrair quanto para conhecer mais o cotidiano dos moradores dos prédios vizinhos. É por isso que, em seu trabalho atual, todo início de noite ela pega uma taça de vinho, seu binóculo e senta na varanda, imaginando histórias para os acontecimentos que sempre vê. E é em uma essas noites que ela vê uma briga entre casais que acaba com uma mulher despencando da janela do décimo quarto andar. Desde então, sua vida nunca mais foi a mesma e ela, que vivia de casa em casa, se viu ansiando por algo ou alguém a quem pudesse se prender.

– Por que mulheres, em especial? Você pinta outras coisas, mas geralmente mulheres... [...]
– Porque são poderosas. A vida vem delas, o que, em si, já é um pouco mágico.
Não foi como na calçada – aquele toque leve e casual de lábios. Foi uma longa, deliciosa e prolongada possessão, com choques elétricos exigentes, eletrizando o corpo ao mesmo tempo em que o seduzia.

Ashton é irmão de um dos envolvidos no assassinato da moça e precisou ouvir diversas vezes que seu irmão havia matado a namorada e depois cometido suicídio. Precisou responder várias perguntas sobre a vida que Oliver levava e sobre envolvimento com drogas, mesmo sabendo que o irmão não era capaz de nada disso, por mais que fosse um rapaz que sempre estava metido em confusões. E, quando percebeu que Lila havia testemunhado sobre o ocorrido, passou a persegui-la, buscando ajuda para saber o que ela viu e o que realmente aconteceu.

Depois que o caminho dos dois se cruzou, eles conseguiram descobrir o motivo pelo qual as mortes aconteceram e encontraram a origem de tudo aquilo – o Querubim e Carruagem, um dos oito ovos imperiais perdidos, de Fabergé – ameaças surgiram contra ambos, uma assassina treinada começou a seguir cada passo que Lila e Ash davam, determinada a terminar com a vida dos dois e recuperar o ovo de ouro para seu chefe. Todos queriam saber quem era o tal chefe e, por isso, estavam decididos a arriscarem suas vidas pela chance de encerrar logo o assunto.

Leia também a resenha de Mônica e Enzo e Todos os Dias ♥

Eu nem sei explicar o que senti durante a leitura dessa obra. Comecei achando bem entediante, mesmo tendo gostado de conhecer um pouco sobre Lila e seu trabalho. Só que as primeiras páginas foram dedicadas a mostrar o cotidiano dela, indo ao mercado, brincando com o gato da casa e observando pela janela. Claro que eu sei que tudo isso era necessário. Chato seria se jogassem o assassinato já na primeira página. Mesmo assim, demorou um pouco para que eu me prendesse à leitura. No entanto, depois que aconteceu, foi difícil me separar do livro, eu só queria saber de ler.

– Porque não se trata apenas do que você faz, mas de quem tinha que ser. É bom ter talento e ser apaixonado pela sua profissão. Nem todo mundo tem a mesma sorte ou disposição.
Tudo aquilo parecia um sonho estranho, disse ela a si mesma enquanto seguia na direção do mercado. Posar para um quadro, calcinhas vermelhas, bilhetes de irmãos mortos, ser beijada no meio da rua porque alguém poderia estar vigiando.

A relação dos personagens foi construída aos poucos. Eles se atraíram assim que se conheceram, mas Lila não queria criar nenhum laço tanto por conta do emprego quanto pelo fato de que nenhum de seus relacionamentos durou muito tempo. No entanto, torna-se impossível não haver um apego conforme eles vão se aprofundando na história dos Ovos Imperiais e de todos os acontecimentos. Lila foi a única a ajudar Ash quando este perdeu o irmão, mesmo ele sendo um completo desconhecido, e ele se vê na obrigação de protegê-la diante das investidas da assassina.

Achei incrível a forma como todos os personagens têm ligações e isso quase explodiu meu cérebro de tanta satisfação. Deixe-me explicar. Ash é um renomado pintor, que expõe suas obras na galeria de artes da Julie, melhor amiga de Lila. As duas se conheceram quando Lila teve um caso com o esposo de Julie, o Luke, que é melhor amigo de Ash. Kaboooom. Ri demais com a história das duas garotas e Luke, porque quando ele e Lila se relacionaram, ele disse que era solteiro. Quando ambas descobriram a verdade, acharam muito melhor virar a ira contra o homem do que uma contra a outra, que não tinham culpa de nada. E assim nasceu a amizade delas, que ultrapassa qualquer dificuldade.

Preciso terminar isso, porque está ficando enorme, hahah. Não consegui expressar nem metade do que o enredo me fez sentir. Eu ri, chorei, fiquei eufórica e brava, foi maravilhoso o quanto a obra me prendeu durante a leitura. Amei o desenvolvimento do relacionamento de Ash e Lila, que precisou passar por altos e baixos, principalmente com as ofensas do pai dele, que insistia em dizer que Lila só se aproximou do rapaz por conta do dinheiro, ainda mais depois que ele decidiu pintá-la conforme ela era aos seus olhos.

– Você é meu ponto fraco – repetiu. – Perguntei a mim mesmo por que é que quis te pintar no instante em que a vi. Eu precisava daquilo, apesar de tudo que estava acontecendo, eu precisava. Por que é que toda vez que penso em começar um trabalho novo, só vejo você.
– Gosto de ser solteira. Isso significa que posso ir aonde quero, quando quero e aceitar qualquer trabalho que me apeteça. Estou vendo o mundo, Thomas, e, tudo bem, converso com gatos, mas também gosto disso.

Todos os personagens são incríveis. Lila demonstrou grande determinação e uma das maiores qualidades mostradas no livro é sua capacidade de nunca precisar da ajuda de um homem. Filha de militar, ela se orgulha ao dizer que sabe se defender sozinha. É conhecida por ser multitarefas e por sempre carregar um canivete, consertando tudo o que encontrar quebrado. A mulher até se ofereceu para pintar o banheiro de Ash porque queria tentar uma técnica que conheceu! Ashton é bem romântico e é o único que sempre resolve os problemas da família. Seu jeito de cuidar das pessoas que ama é mandando-as deixarem que ele cuide de tudo. Isso às vezes me irritou bastante, assim como irritou Lila, pois ele achava que podia simplesmente mandar em todos.

Julie é uma mulher forte que, mesmo sofrendo, soube superar as dores de um casamento fracassado e diversos outros relacionamentos que não deram certos. Ela sempre se cobrou pelo que aconteceu com Luke e tudo isso vem à tona quando os dois se encontram. Mas foi lindo ver que eles amadureceram e entenderam que a culpa foi dos dois. Eram muito jovens quando decidiram casar e acharam que só o matrimônio já faria a vida ser perfeita, mas descobriram que há muitas dificuldades em sair da casa dos pais e ter o próprio lar. Enfim, amei acompanhar a trajetória dos dois casais. Todos eles aprenderam muito no decorrer da história.

– Segundas chances são mais assustadoras do que as primeiras, porque você já sabe o quanto está arriscando.

A edição do livro está linda. A capa combina perfeitamente com o enredo do livro. As margens da página são pequenas e a fonte é um pouquinho menor que o normal. A única coisa que não gostei foi o fato de as folhas serem brancas. </3 Não entendi por que fizerem isso. O livro tem alguns erros de revisão, mas nada que atrapalhe a leitura, só dá um pouquinho de agonia mesmo, hah. No geral, foi uma experiência sensacional de leitura. Recomendo, com certeza. Já quero ler mais obras de Nora Roberts, que é tão bem comentada que ainda não acredito que é minha primeira vez lendo algo dela.


Acompanhe-nos:

Comentários

  1. Oi,
    nossa que resenha maravilhosa, espero gostar da leitura tanto quanto você, estou com esse livro em casa e pretendo lê-lo em breve se possível ainda esse mês. Não tive muitas experiências com os livros da Nora, na verdade só li a série quarteto de noivas e nunca li nada mais voltado para o suspense e mistério, estou com as expectativas em alta, ainda mais depois dessa resenha apaixonada.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Ola
    Eu também já fiz essa leitura e gostei do desenvolvimento. Concordo que o começo pôde ter sido um pouco entendiante, mas necessário para compreensão. Gostei muito de todos os personagens. Sobre a edição, acredito que está maravilhosa mesmo! É uma leitura que vale muito a pena, ainda mais aos admiradores da Nora Roberts.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Ual, que resenha! Nunca li nada da autora mas sempre vejo resenhas positivas como a sua, apesar do inicio lento, fiquei curiosa pra ler pois você gostou muito e isso ficou bem claro por conta da euforia, eu amo quando isso acontece! amo quando a leitura nos prende, onde os personagens são envolventes e a trama inesquecível , quero ler!!

    Beijos
    Jess
    www.pintandoasletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Fernanda

    Bom saber que o começo do livro é mais paradão. Estou com ele aqui e em breve lerei. Gosto bastante do gênero e a autora nunca decepciona. Adoro quando há ligação entre os personagens, então isso é outra coisa que vai me agradar! Que bom wue depois do começo meio difícil a leitura fluiu e acabou sendo um experiência bacana! ;)

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Ainda não li esse livro da Nora, mas já garanti o meu exemplar. E no começo, sempre é um pouco mais lento, mas depois a história fica mais empolgante. Com certeza, será uma leitura que vou gostar muito.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nada da Nora Roberts e com certeza não foi por falta de indicação. Achei as fotos que você compartilhou aqui na resenha maravilhosas e me deu muita vontade de ter o livro em mãos.
    Amei o post.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bom?
    Nunca li nada da autora mas ouço muuuitos elogios a ela. Livros que começam parados não me agradam muito, a menos que o restante seja mesmo AVASSALADOR. Eu me interessei sobre esse enredo, porém a capa não entrega muito, né? Adorei as fotos, quero ler alguma coisa dessa molier urgente!

    ResponderExcluir
  8. Olá Fernanda,
    Já tentei ler alguns livros da Nora, mas não consegui, a narrativa dela não me cativou. Fiquei muito contente por esse livro ter te agradado e por você indicar a leitura. Acho que a autora acertou em cheio quando fez o envolvimento dos personagens acontecer aos poucos, apesar da atração quase que imediata.
    Vou tentar anotar a dica, quem sabe eu não possa curtir.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Está aí outra autora que vejo muitas pessoas cobrindo de elogios mas que eu nunca li nada dela. Eu gosto bastante do tipo de livro que ela escreve, não sei porque ainda não li nada. Os elementos ressaltados por você em sua resenha até me deixaram bem curiosa em relação à trama completa, mas não sei se leria esse livro no momento. Seja como for, vou deixar em livro aguardo em algum canto da memória para quando eu quiser ler algo dela. Obrigada pela dica!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bom?
    Fiquei louca para ler o livro, ainda mais sabendo que a trama te despertou tantos sentimentos ao decorrer da leitura e que a mesma conta com personagens femininas fortes, que é algo que sinto muita falta em livros assim. Curti saber também que a relação dos personagens foi sendo construída aos poucos e a forma como todos os personagens se entrelaçam. Preciso ler esse livro para ontem! rs Amei sua resenha e essas fotos maravilhosas!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Primeiramente, eu simplesmente AMEI as suas fotos <3 Adorei a premissa do livro, definitivamente é uma leitura que me atrai. Fico feliz que tenha gostado da obra, e a digramacao do livro realmente aparenta estar maravilhosa. A sua resenha está maravilhosa, obrigado pela dica ❤️
    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá,

    Eu sempre tive curiosidade em ler algo da Nora, e esse final de semana eu finalmente consegui, e cara que autora! Agora entendo porque falam tão bem dela. Já tinha ouvido falar nesse livro, mas não sabia nada sobre a história e fiquei mega curiosa para ler e tirar minhas próprias conclusões.
    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Gosto muito da narrativa da Nora Roberts, a obra em questão eu não conhecia, mas parece ser incrivel! Gosto muito de personagens bem construidos e mistério, logo acredito que irei gostar. Obs.: as fotos da resenha estão lindas!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha #124 | China de Papel, de Fabiano Lima