2.8.16

Resenha #73 | Meio Rei [Mar Despedaçado #1], de Joe Abercrombie | Editora Arqueiro


O tolo bate. O sábio sorri, observa e aprende. Depois bate.
FICÇÃO/FANTASIA | 288 PÁGINAS | EDITORA ARQUEIRO | CLASSIFICAÇÃO: 4/5 | OFERTAS | SKOOB

Yarvi era um príncipe que, por ter nascido com deficiência em uma das mãos, nunca foi levado a sério como rei ou, sequer, como um bom guerreiro. As limitações sofridas por ele por conta de sua mão lhe renderam diversas piadas de mau gosto, inclusive do próprio irmão. Em uma época onde a força e a coragem eram alguns dos principais indícios de poder, Yarvi deixou a liderança para quem tinha capacidade e começou a estudar para tornar-se ministro, sempre determinado a rejeitar a herança que sua posição designava.


– O senhor está indo bem – sussurrou o tio de Yarvi em seu ouvido.
– Estou andando.
– Está andando como um rei.
– Sou rei e estou andando. Como poderia ser de outro modo?

Seus planos corriam perfeitamente como o combinado e todos estavam satisfeitos com a decisão. Yarvi já dominava todos os ensinamentos e mãe Gundring, atual ministra do rei, e estava apenas se preparando para realizar o Teste Ministerial e deixar de vez o título de príncipe para tornar-se o pai Yarvi. Entretanto, a mesma época que via a força como principal característica, também seguia a lei da hereditariedade. Todos os planejamentos futuros foram destruídos quando Yarvi recebeu a notícia de que o pai havia sido vítima de uma armadilha e assassinado pelas mãos dos inimigos. Pela lei, seu irmão herdaria o Trono Negro e governaria Gettland e isso aconteceria se seu irmão não estivesse junto com o pai na emboscada. E assim, de repente, Yarvi se viu obrigado a assumir o trono como rei legítimo. E isso tudo aconteceu no primeiro capítulo...

Meio Rei, primeiro volume da trilogia Mar Despedaçado, é uma história repleta de intrigas misteriosas e reviravoltas impressionantes. Yarvi foi vítima de um golpe praticado pela única pessoa que já lhe demonstrou alguma afeição: seu tio. Todos acreditaram em sua morte e o reino passou por mudanças radicais sob a liderança de Odem. O rapaz foi de rei a escravo de um navio em um piscar de olhos e, diante das circunstâncias e dos descobrimentos que sucederam, ele lutou com garra para cumprir seu juramento de vingar a morte do pai.


Enquanto limpava o convés, Nada parecia velho e dolorosamente lento. Um resto quebradiço. Um homem feito de gravetos e barbante. Com a espada na mão, ele fluía como água, dançava como o fogo saltitante. A impressão era que a arma tinha vontade própria, rápida e implacável feito um relâmpago, conduzindo-o.


Apesar de ter sido uma experiência sensacional, a leitura de Meio Rei só engatou perto da metade do livro. O início foi bem cansativo por conta de excessivas descrições de cenários que, em minha opinião, não eram tão necessários ao enredo. Isso, infelizmente, fez com que a leitura se arrastasse por quase um mês e meio. Mas, em compensação a isso, a partir do momento em que Yarvi se viu forçado a lutar por sua sobrevivência, enganando até mesmo os companheiros do navio acerca de sua verdadeira origem, não consegui mais largar o livro antes de descobrir o que aconteceria ao jovem em sua aventura.

Em parte, foi doloroso acompanhar o modo como Yarvi conheceu como funcionava o mundo além das enormes paredes do castelo. O jovem já estava ciente de algumas coisas, mas passar pela experiência de vivenciar tudo na pele foi algo transformador. E foi isso que fez com que a leitura se tornasse majestosa. Ok, o início foi chato sim e, ok, eu quase desisti (#shameonme), mas Yarvi evoluiu demais durante tudo isso e eu me apaixonei por cada um dos personagens que apareceram nessa jornada.

Queria poder citar e descrever todos os personagens que me encantaram, seja por sua coragem ou pelo seu jeito desprezível, mas acho que ninguém aguentaria, hahah. Nada (esse é o nome do cidadão...) foi alguém que representava muito bem o nome recebido enquanto limpava, incessantemente, o chão do navio no qual Yarvi foi escravo – e que também me provocou diversas gargalhadas. Foi essencial para a história do rapaz e teve um desfecho de vida que me deixou simplesmente embasbacada. Outras pessoas como Jaud e Rulf, companheiros de remo de Yarvi, que se tornaram seus melhores amigos, Shadikshirram, capitã do navio, e Sumael, Trigg e Ankran, almoxarifados e supervisores – escravos com uma condição um pouco melhor – também foram vitais para todo o desenrolar.


  O homem brande a foice e o machado, dissera o pai. [...] Acima de tudo, o homem segura o escudo. O homem sustenta a linha de combate. [...] Que tipo de homem é incapaz de fazer qualquer uma dessas coisas?
  Eu não pedi para ter meia mão, retrucara Yarvi, encurralado onde se encontrava com frequência, no terreno estéril entre a vergonha e a fúria.
  Eu não pedi para ter meio filho.

O trabalho da Editora Arqueiro ficou incrível. O livro é dividido em três partes, sendo elas O Trono Negro, O Vento Sul e A Longa Estrada, que definem muito bem a viagem do rapaz. Contamos, ainda, com um incrível mapa no início do exemplar, que facilita a definição dos diversos lugares que fazem parte da trama. Confesso que, inicialmente, o que mais me atraiu foi a capa (principalmente as sombras atrás de Yarvi), e depois a sinopse. As ilustrações possuem um acabamento fosco, com exceção do título, que recebeu um destaque. A diagramação segue o padrão da editora sem nenhum ornamento ou detalhe a mais nos inícios de capítulos. Não encontrei graves erros de revisão.

Essa é uma história que eu queria poder contar mais, mas nada do que eu escrever será suficiente para expressar a grandeza que o enredo traz, principalmente nas duas partes finais. É um livro que recomendo para quem curte uma boa aventura, sem muito espaço para romance, com bastante segredos e mortes e uma cultura própria e original muito bem trabalhada. E também para quem gosta de cenários bem detalhados ou que, ao menos, não se incomode tanto com eles.

Informações técnicas
Livro cedido em parceria com a editora
para resenha e divulgação
Título original: Half King
Título: Meio Rei
Autor: Joe Abercrombie
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Ano: 2016
Avaliação: ★★★★
SinopseJurei vingar a morte do meu pai. Posso até ser meio homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro.
Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem.
Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava.
Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo.
Joe Abercrombie nos apresenta um protagonista surpreendente, numa história de percalços e amadurecimento que abre a trilogia Mar Despedaçado.

24 comentários:

  1. Olá
    Confesso que ainda não tinha conhecimento desse livro, mas sua resenha me deixou bem curiosa, especialmente por ser de um gênero e de uma ambientação que eu adoro. E é claro que fiquei muito curiosa em saber mais detalhes. Vou procurar saber mais para quem sabe adquirir meu exemplar.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Sério que acontece tudo isso em um capítulo? Kkkk, bem pode ser um capítulo grande rsrs. Eu tenho esse livro e pretendo ler ele ainda esse mês se possível for. Achei a capa muito bela e também sou fã de histórias que une fantasia e reinos medievais e cosa e tal. O fato do nosso protagonista sofrer por ter problema na mão, me deixou bem animado, pois mesmo com esse "problema" ele foi se virar do seu jeito (nos estudos) e espero que ele tenha dado a cara a tapa e de o melhor reinado que esse reino já viu! Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
  3. Ola Fe eu li esse livro e amei a escrita, os personagens e o enredo muito bem trabalhado.
    O protagonista nosso meio Rei me surpreendeu pelo seu crescimento através de sofrimento e sobrevivência. Os demais personagens são ótimos e marcantes e de suma importância na história, Uma leitura obrigatória para quem gosta do gênero. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  4. Antes de dizer oi, deixe dizer UALLLLL.
    Olá, tudo bem?
    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas as suas descrições de como ele passou por um bocado de coisas em apenas 1 capítulo e como ele de rei se tornou escravo, realmente deixou aquela curiosidade. Geralmente não lei esse estilo literário, mas a sua resenha me deixou curiosa! Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Eu ainda não conhecia o livro, mas só tenho que dizer que não sei como deixei essa história passar! Gostei muito da proposta do enredo e com certeza vou querer ler, mesmo que a narrativa seja um pouco lenta por causa das descrições...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Eu não conhecia o livro, mas é do estilo que gosto. Meio que aventura (parece), se passando nos tempos dos reis, com várias reviravoltas...
    Talvez eu tivesse o mesmo problema que você no início, pois muita descrição de lugares é meio cansativo e até chato, principalmente quando é desnecessário. Mas que bom que depois ele melhora.
    Em alguns aspectos (no tempo que se passa, a aventura, entre outras coisas) me lembrou uma série que eu amo demais: "Rangers: Ordem dos Arqueiros". O único problema dela (para mim não é, porém para alguns pode ser...) é que ela tem somente 12 livros e está para sair mais um...
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Várias coisas me interessaram no livro, principalmente os segredos. Ainda não conhecia e estou apaixonada pela arte gráfica caprichada. Quero poder ler em breve.
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá Fernanda,
    Adorei a premissa desse livro, achei muito legal a forma como o protagonista vai atrás de algo diferente, já que não será rei e não age como se tivesse inveja do irmão. As intrigas, os segredos também me agradaram e a única coisa que me decepcionou foi o início lento que você ressaltou. Eu tenho a mania de achar que uma obra precisa engatar de cara, sei lá, é uma mania.
    Apesar disso, vou anotar a dica de leitura, pois, mesmo com a ressalva, acho que vale a pena ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Fernanda.
    Eu gosto bastante desse gênero e fiquei curiosa com a premissa desse livro. Me parece ser uma trama com um bom suspense e esse comecinho mais lento eu acho normal nesse tipo de livro. Eu gostei de conhecer um pouco mais sobre essa história e espero poder gostar se eu vier a ler.

    ResponderExcluir
  10. Oie amoreca... adorei a resenha... que fantástico esse livro, capa super linda, história ainda mais linda...
    Adoro livros que colocam-nos a pensar e refletir sobre nossas "limitações" - como Yarvi.

    Não pretendo ler, pelo menos por enquanto... masss.. está anotado para futuramente!

    Beijokas!!!

    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oláaa
    Estou louca por este livro desde o seu lançamento. Os livros do Martin me deixaram viciada nesse tipo de livro que envolvem, reinos medievais.
    E se tem uma coisa que eu aprendi com esse tipo de livro é a ser paciente, pois geralmente o começo é meio maçante. Muito explicativo e cheio de detalhes que, ao meu ver, são necessários para o entendimento do enredo.

    Confissões de uma Mãe Leitora

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?! Nossa realmente é muito chato mesmo quando um autor exagera naa descrições o que a meu ver também torna a leitura bem cansativa. Mesmo com esse problema achei o enredo fascinante e curiosa com o livro.
    Bj

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Eu ainda não iniciei a leitura desse livro, mas estou curiosa para poder conferir, pois assim como você, a capa foi algo que desde o inicio me chamou a atenção. Eu ainda não conheço a narrativa do autor, mas estou bem intrigada para conferir, acredito que vou gostar.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  14. Oi, nunca tinha ouvido falar dessa série mas me interessei muito. Eu realmente gosto de livros assim medievais e com bastante aventura. Adorei sua resenha, mesmo que você não tenha gostado muito de todos os detalhes da narrativa eu admiro muito isso, gosto de ser inserida no espaço da história. Adoraria ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oláa! Como vai? Que resenha maravilhosa! Adorei saber tua opinião sobre esse livro, que vem conquistando tantos leitores. Eu não sou grande fã do gênero, porém fiquei intrigada com a premissa de Meio Rei, que parece ser bem original e possuir uma narrativa envolvente, apesar do início ter sido cansativo pelas muitas descrições, como ressaltou. Eu acho que leria, sim, e quando fizer isso espero gostar também <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Eu tô meio saturado de livros do tipo, sabe? que se passam em mundos medievais e tudo mais e, mesmo que ame coisas do tipo, sinto que ainda não é a hora d'eu ler este livro. A sua resenha tá muito boa, de qualquer forma. Adoro quando tem muitas fotinhos no meio do texto, fica menos entediante. Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Esse é um dos motivos que não leio muitos livros de fantasia, histórias com cenários excessivamente descritivos. Isso aa vezes me deixa cansada e confusa.
    Mas que bom que a partir do meio a leitura ficou prazerosa pra ti. Parece mesmo um livro muito interessante.
    Beijo

    ResponderExcluir
  18. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mas fiquei muito muito interessada!
    Adoro histórias épicas como essa do livro e me parece que, cada vez mais, elas vem ganhando um espaço maior nas livrarias. Até porque acho que mais pessoas procuram histórias mais profundas, com detalhes e que tenham continuações, né?
    Que pena que a narrativa fica um pouco cansativa no começo, mas acho que grande parte dos livros desse gênero acabam sendo assim mesmo também :/ ossos do ofício haha
    Muito boa a resenha, vou procurar pra comprar aqui :)
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  19. Oii Fernanda!
    Primeiramente parabéns pela resenha incrível que vc nos trouxe!
    Já tinha lido outras resenhas do livro e fiquei apaixonada, ganhei em um sorteio estou aguardando ansiosa pra ler!
    De primeira apaixonei pela capa e dpois pelo enredo, td mto bom!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  20. As vezes livros de fantasia tem muita descrição, e ao meu ver um grande ponto positivo, porque torna ainda mais real o lugar e o momento que está acontecendo aquela cena, mas claro que isso se repete muitas vezes acaba se tornando cansativo. Antes que não tinha interesse em ler esse livro, porém sua resenha me deixou bastante curiosa para saber sobre essa história, e como esse personagem vai lutar pelo que quer, espero gostar bastante da leitura.

    ResponderExcluir
  21. Gente, nunca tinha visto nenhuma história assim, envolvendo reino e deficiência, é um tema bem diferente e a premissa é bem bacana. É normal livros de fantasia terem a narrativa um pouco arrastada em alguma parte, mas a obra em geral parece valer a pena a leitura :)

    ResponderExcluir
  22. Nossa, já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece excelente.

    ResponderExcluir
  23. Oieee,
    que resenha maravilhosa, me fez já no primeiro parágrafo desejar e muito, ler um livro que eu nem pensaria em olhar duas vezes, já estou ansiosa para acompanhar as labutas do jovem rei fora do castelo, nem posso imaginar o quanto a deficiência do rapaz deve ter lhe rendido em depreciações, se hoje em dia a quem desmereça os deficientes, imagino naquela época e ainda mais um membro da família real, vou providenciar para ler, com toda a certeza.

    Abçs
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  24. Oi Fernanda, que bom que gostou do livro. Quando ele foi lançado eu fiquei super empolgada, mas acabei lendo algumas resenhas bem negativas e meu entusiasmo acabou diminuindo, mas não o interesse total. Uma boa aventura, permeada por segredos e mortes com certeza é sempre bem vindo.
    Bjs!

    ResponderExcluir

© Psiu, vem ler!. Todos os direitos reservados.
Criado por: Fê Goulart.
Tecnologia do Blogger. | Voltar ao topo
imagem-logo