| Resenha #70 | O Despertar do Príncipe, de Colleen Houck | Arqueiro

Exemplar de acervo próprio
O Despertar do Príncipe
Colleen Houck

Páginas: 384
Editora: Arqueiro

Assim como nossas formas estão ligadas hoje,
Nossas vidas também o serão.
Incansável, ela vai me servir
Enquanto eu sirvo ao Egito.

Sinopse: Aos 17 anos, Lilliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem. Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth. Em O despertar do príncipe, Colleen Houck apresenta uma narrativa inteligente, cheia de humor e ironia.

  Liliana Young tinha uma vida quase perfeita e invejável. Suas roupas eram das melhores marcas, sua casa era um luxuoso hotel – o qual seus pais eram donos de um andar inteiro – e o dinheiro que ganhava dos pais, em um único mês, era semelhante ao que muitas pessoas ganhavam em um ano inteiro. No entanto, apesar da vida boa e de poder desfrutar de todas as regalias que o dinheiro consegue conquistar, faltava-lhe o mais importante: amor.
  A família de Liliana não era considerada afetuosa. Seus pais se preocupavam muito mais com a aparência perante a sociedade do que com o bem-estar emocional da filha. Tanto que ela já tinha o futuro decidido e dificilmente conseguiria realizar seus sonhos profissionais, pois os pais só aceitavam carreiras que julgassem dignas, como medicina, administração e ciência política. No entanto, os planos de todos foram frustrados quando, durante uma visita à ala egípcia de um museu, um misterioso homem careca, que vestia nada além de um saiote branco, apareceu para Liliane e transformou-a em algo semelhante a uma serva – por mais que ele insistisse em discordar do termo.



  Amon era um poderoso príncipe egípcio mumificado que, a cada mil anos, despertava para cumprir, juntamente com seus dois irmãos, a profecia que derrotaria o maligno deus Seth por mais um milênio. No entanto esse despertar foi diferente. Pessoas estavam empenhadas a atrapalhar o cumprimento da cerimônia e, por conta disso, Amon acordou distante de seus irmãos e sem seus vasos canópicos.
Meus pais jamais aceitariam que eu virasse psicológica, sobretudo por acharem que as pessoas deviam zelar pela própria saúde mental e superar, com a simples força de vontade, qualquer obstáculo que tivessem pela frente. Conviver com gente que consideravam estar abaixo do meu nível não era algo que eles incentivassem, mas, apesar disso, psicóloga era a carreira que fazia mais sentido para mim.
  Os vasos canópicos, normalmente, guardavam os órgãos do corpo durante o processo de mumificação, mas também abrigavam e protegiam a força vital que Amon precisava para sobreviver durante aquele período. E com o objetivo de encontrar seus irmãos a tempo, Amon lançou um encantamento que criava uma forte conexão entre seu ka e o da garota, de forma que, sempre que estivesse fraco, o príncipe poderia "pegar emprestado" a sua energia. Depois de finalmente aceitar sua situação, Liliana – ou Lily, como Amon a chamava – partiu em busca da obrigação de Amon, enfrentando ataques inimigos, monstros obscuros, mulheres encantadas pela beleza de Amon, crises existenciais e milhares de dramas.
  O Despertar do Príncipe foi uma leitura maravilhosa. Colleen Houck explorou muito bem a cultura e as crenças egípcias. É difícil não comparar esse livro com o enredo da série do Tigre. Um homem amaldiçoado ligado a uma mortal e que precisa, urgentemente, encontrar algo ou alguém para destruir as forças do mal é a maior semelhança entre as duas séries. Porém Colleen trabalhou estupendamente nas cenas de ação e na relação entre todos os personagens. Uma das coisas que mais gostei e que também foi característico desta obra foi o humor utilizado nas falas de Amon enquanto conhecia o novo mundo depois de despertar, que em muitos momentos me fizeram dar boas risadas.


– Tolos! – bradou ele com o som de mil tambores, fazendo um eco assustador reverberar em todos os corações. Raios atingiram o chão perto dele e outro rosto ocultou os traços do sacerdote. – Minha ira vai se derramar sobre vocês! Eu lhes dei uma chance de me prestar homenagem, mas vocês se voltaram contra mim. Saibam que tirarei a vida dos seus rapazes. Vocês vão pagar pelas ofensas que me infligiram!
  O ponto negativo ficou por conta do romance, na minha opinião. Liliana muitas vezes se tornou insuportável em sua indecisão acerca de gostar ou não de Amon. Várias vezes ela irritava-se com o comportamento do príncipe mumificado e se dedicava a manter seu coração fechado para ele, mas bastava uma atitude dócil de Amon para que ela saltitasse como uma criança. Meu maior desejo é que Colleen não invente um triângulo amoroso ou, por que não?, um quadrado entre os irmãos e a garota.
  O livro é narrado em primeira pessoa por Liliana e temos a oportunidade de conhecer, através dos olhos dela, a história dos deuses que fizeram parte do sacrifício dos três príncipes. A história é dividida em três partes, onde acompanhamos o despertar de Amon, a busca pelos dois irmãos e a luta contra Seth e seus aliados. O final foi ótimo, mas o epílogo foi o que mais me encantou e me deixou ansiosa pelo próximo volume.
  Todos os personagens foram criados magnificamente, de modo que é impossível o leitor não se conectar a algum deles. Os três príncipes possuem toda a graça e amor ao próximo ensinados pela época em que nasceram. Amon tem um jeito mais romântico, Asten é o paquerador que lança cantadas e, para Ahmose, ficou o jeito caladão que sempre é o primeiro a ajudar quando alguém se feria – e que, preciso dizer, foi o que acabou se tornando minha paixão xD. O que mais me encantou na relação dos irmãos foi a lealdade, confiança e senso de proteção. A cultura local foi muito bem explorada e trabalhada. Todas as cenas de ação com o inimigo ficaram tão empolgantes a ponto de eu não querer largar o livro antes de descobrir o desfecho.

– Uma tocha?
– Isso. – Ele olhou para Amon e por um instante ficou assombrado com a luz natural que emanava dele. – Infelizmente, nós mortais não nascemos com lanternas embutidas.


  Eu sempre fui apaixonada assumida pelos lançamentos da Editora Arqueiro e pelo trabalho que ela aplica nas obras. Com O Despertar do Príncipe não foi diferente. Tanto a capa quanto o interior estão impecáveis. A diagramação me agradou bastante. As três partes do livro são divididas por uma página negra com ilustrações semelhantes a runas. A fonte é de tamanho médio, com margens e espaçamento ótimos para a leitura. Os capítulos são numerados e nomeados com títulos que deixam o leitor ainda mais curioso.
  Comprei O Despertar do Príncipe na Black Friday de 2015 mais por conta de quem o escreveu do que do enredo apresentado. No entanto, apesar de alguns pontos negativos, me surpreendi positivamente. Colleen Houck é conhecida por abusar de mitologias pouco utilizadas na literatura fantástica e romântica e com certeza não decepcionou ao escolher a cultura egípcia como cenário das aventuras de sua nova série. Agora é acalmar a ansiedade para aguardar o segundo volume, de nome O Coração da Esfinge – quem leu O Despertar do Príncipe entendeu a referência, certo? – e O Sonho do Tigre, quinto livro da saga indiana da autora. Esse é um livro que com certeza recomendo para todos, tanto para quem curte conhecer diferentes povos quanto para quem quer acompanhar uma série cheia de mistério, ação e romance.

Avaliação:
5/5

Comentários

  1. Olá, tudo bem?
    Eu já li outras resenhas do livro, mas ainda não tenho certeza se faço ou não a leitura dele. Uma coisa que chama bastante a minha atenção, é o fato dele abordar a cultura e crenças egípcia. Mas se eu dia eu decidi ler o livro, compartilho a minha opinião com você!

    http://desencaixados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Fê
    Sua resenha ficou ótima. Eu também já li esse livro e fico feliz que você tenha se surpreendido com a leitura, apesar de algumas questões negativas. Eu sou suspeita para falar, mas sou muito fã da autora e adorei mais essa história dela, mesmo porque amo o gênero e as peculiaridades do enredo.

    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Oie! Todo mundo fala tão bem dessa autora e eu não tive ainda nenhum contato com ela. Confesso que fico até meio dividida em ler essa série porque várias pessoas falam que a protagonista é chata em alguns momentos, como você destacou pela indecisão dela de gostar do príncipe as vezes e as vezes não, mas o que me chama atenção é justamente essa nova cultura, raramente vemos algo sobre os egípcios. Também gostei de saber que há uma lealdade entre os irmãos, adoro quando isso acontece nos livros. Pesando na balança acho que esse livro tem mais pontos que me atraem do que pontos negativos, então é o tipo de leitura que eu posso vir a dar uma chance e gostar.

    ResponderExcluir
  4. Não tive uma boa primeira experiência com a escrita da Colleen e sou uma das poucas que não curti a saga do tigre, parei no primeiro livro. Mas vários elementos me interessaram nesta trama aqui. O maior e mais importante, foi o cenário egípcio e sua mitologia. Espero poder ler.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho toda a saga do Tigre aqui e ainda não comecei ele e quando veio este lançamento não me interessei porque não curto muito esta coisa de egípcios e tal, apesar de ter um romance e como você disse que a personagem é muito boba e isto realmente a gente acaba se enchendo porque se é só ela ter um agrado que ela fica toda boazinha, então ela devia ter problemas de humor. hahahahahaha

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  6. Olá Fernanda,
    Gostei muito da sua opinião, tanto da apresentação dos pontos negativos quanto positivos. Vi muitas pessoas falarem que o romance é um ponto negativo na história e acho que vou sentir o mesmo quando ler, mas acho que esse fato não tira o brilho que a obra tem, que é tamanho. Um ponto que me encantou foi que os personagens são bem construídos e isso é muito bacana.
    Acho que vou passar essa leitura na frente, pois já tenho o livro aqui rs.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  7. Oie
    Há tempos que tenho vontade de conhecer essa autora, sempre vejo os livros e acho as capas lindas e os motes muito interessantes e com sua resenha fiquei com água na boca!
    Parabéns
    Beijos
    www.meuvicioliterario.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oii
    Eu ja tinha visto esse livro mais nunca fui atras para saber mais, e agora eu fiquei encantada... e não sei não em... sou fã de animes com harem reverso e adoraria ver isso em algum livro kkk eu amo a serie do tigre e se for parecida mesmo com ela então eu acho que eu vou mesmo gostar... amei a resenha, ela me fez querer ter o livro imediatamente kk
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Fernanda de Deus, preciso desse livro! Já vi a capa dele por aí, mas essa é a primeira resenha que leio dele, e nossa, adorei! Amo toda essa cultura egípcia, tenho certeza de que eu amaria a trama. Sou curiosa também para conhecer a escrita da Colleen, e pelo visto, vou amar. Já foi para a listinha de desejados!

    Beijos,
    Dai | Blog Virando a Página

    ResponderExcluir
  10. Ainda não li nada da autora, mas vejo muita gente falando bem de sua escrita, o que me deixa bem curiosa pra conhecer algum livro dela.
    Já ouvi falar neste livro, mas nem sabia do que se tratava. Adoro mitologia egípcia, então tenho certeza que vou adorar!
    Pena que o romance te cansou, mas se você ainda deu nota 4/5 mesmo com essa hamartia, vou ler assim mesmo!
    Ótima resenha!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  11. Sinceramente ouvi muitos elogios sobre a autora tanto que reconheci de cara seu nome, porém não sabia nada mesmo em relação a estória e me pareceu fascinante principalmente por nunca ter lido nada parecido, e isso torna-se único de certa forma, não vejo a hora de poder ler e tirar minha próprias decisões.

    ResponderExcluir
  12. Oie Fernanda!!
    Adorei sua resenha, ela me deixou super curiosa para conhecer o livro. Gosto demais da cultura egípcia e gosto de mais de YAs então tenho certeza que posso gostar do livro, tenho os dois primeiros volumes da série do Tigre na estante, mas até hoje não li ainda. Espero ter a chance lê-los em breve ;)
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Oiii!

    Ah, meu Deus. Tenho tanto coisa para falar. Eu já li todos os livros da Colleen e gosto muito do que ela faz com a mitologia decide abordar.
    Antes de qualquer coisa, só a tenho uma palavra para escrever quando o assunto é a saga do tigre: KISHAN ♥ Morri de chorar com final dele, ele é meu preferido. Mas o assunto aqui são as múmias e não os tigres. hahaha Eu gostei muito do livro, da mitologia trabalhada e da forma como ela foi trabalhada.

    Eu confesso que achei o Amon meio chatinho e tedioso, e de longe o Asten é o meu irmão favorito, tudo que ele fala é engraçado. Amei ele demais. Eu achei a Lily muito gente boa, só que essa mesma coisa que você citou me incomodou nela também. Mas tirando isso, achei ela mais legal que a Kelsey. HAHAHA'

    Bem, acho que já falei demais, né?
    Adorei sua resenha e os pontos tragos.
    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  14. Oi Fernanda,
    Acho a capa desse livro simplesmente linda!
    Achei a parte da aventura bem bacana, mas acho meio estranho essa história de se apaixonar por seres milenares que estavam mumificados, não consegui achar muito lógico, talvez lendo o livro, faça mais sentido hehe
    Adorei sua resenha!
    beijos

    ResponderExcluir
  15. Ainda desconheço a escrita do autor, mas parece ter construído muito bem a história, se mantendo em sua zona de conforto ao fazer um enredo parecido com o de sua outra série, realmnete romances com personagens mimizentas também me entristecem, pois não consigo torcer pelo casal, a capa e linda e espero gostar da história

    ResponderExcluir
  16. Oi Fe, tudo bem? Eu tenho a saga do Tigre aqui, mas ainda não li :P
    E sabe que esse livro chama mais a minha atenção? Sei lá, achei mais real de certa forma, sei lá hahha, se bem que não sei o que é mais esquisito se apaixonar por um tigre ou por uma múmia kkkkkkk
    Mas apesar de me chamar a atenção, não leria esse livro agora. Acho que primeiro vou ler meu box que está abandonado na estante hahhaah
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Eu li sse livro faz um tempinho e confesso que não fui tão conquistada assim, minhas expectativas estavam muito altas e infelizmente não foram alcançadas :( Mas é um livro bom, dá para notar o quanto a autora pesquisou para construir a história mesmo e os personagens são cativantes. Enfim, eu estou curiosa com a continuação e espero de todo meu coração que a autora não crie um triângulo ou quadrado amoroso kkkkkk

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  18. Oie!!!
    Também li recentemente este livro e amei! Gosto muito de como ao longo da história a autora vai nos con5ando a mitologia mesclando com o romance e a aventura! Estou louca pelo próximo volume, pois o capítulo extra ao final me deixou em cólicas!
    Bjinhos ;)
    Elaine M. Escovedo
    Http://www.caminhandoentelivros.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oi Fernanda, tudo bem?
    Sabe que eu não sou muito chegada em livros de mitologia, mas esse sempre me chamou a atenção desde que vi sobre o lançamento. Talvez um dia eu dê uma chance a ele para ver o que acho, ainda mais que você falou muitas coisas boas dele e da escrita da autora. Ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  20. Oi Fê,
    Menina eu li esse livro, assim que ele saiu e olha vou te dizer me surpreendi porque eu pensava que a história seria outra coisa, mas amei mesmo assim e adorei a escrita da autora, os personagens a dinâmica da narrativa e estou super ansiosa pelo lançamento da sequência.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi
    Eu tenho uma curiosidade gigantesca por esse livro, todo mundo fala dessa riqueza de de informações a cerca da civilização egípcia que a autora explorou nesse livro, e por ser apaixonada por essa temática corri e comprei o livro, mas infelizmente ainda não consegui lê-lo, sua resenha no entanto renovou meu ânimo e me fez querer lê-lo de imediato.

    Abçs
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  22. Ganhei esse livro em sorteio e quando o li adorei. Mistura de realidade com fantasia, mistérios egípcios e amor. Aguardando o segundo livro com ansiedade.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

[Divulgação] Zip Anúncios