| Resenha #58 | O Livro dos Negros, de Lawrence Hill | Primavera

O Livro dos Negros
Lawrence Hill

Editora: Primavera Editorial
Páginas: 408

Então, geógrafos, nos mapas da África,
Com imagens selvagens preenchem seus vazios;
E sobre dunas inabitáveis,
Na falta de cidades, colocam elefantes.

Sinopse: Aminata Diallo, uma das personagens femininas mais fortes e marcantes da ficção contemporânea, foi sequestrada, ainda criança, na África, e vendida como escrava na Carolina do Sul.
Aminata, após a Revolução Americana, foge para o Canadá, escapando da vida de escrava para tentar uma nova história em liberdade. O livro traz uma história que nenhum ouvinte e nenhum leitor esquecerão.
A obra, marcante e inesquecível, tornou-se uma minissérie de sucesso nos Estados Unidos. Dirigida e escrita por Clemente Virgo (The Wire) e protagonizada por Aunjanne Ellis e Cuba Gooding Jr, vencedor no Oscar.

  Aminata Diallo era uma menina inocente que, com pouco mais de 10 anos, vivia tranquilamente na vila de Bayo, na África, com seus pais. Seus dias se resumiam a acompanhar a mãe em seu trabalho como parteira e, à noite, se reunia com a família ao redor de uma fogueira, cada um com uma xícara de chá em mãos, e ouvia atentamente o pai ensiná-la a ler o Alcorão, mesmo que, na época, fosse proibido.
  Em um dia normal, quando Aminata e sua mãe retornavam de um trabalho de parto, um grupo de pessoas atacou-as e, na tentativa de fugir, a mãe da menina acabou sendo assassinada; seu pai, que também havia sido capturado, teve o mesmo destino ao tentar salvá-las. A partir daí, só o que restou da aldeia foi a garota que, acorrentada, foi levada por diversos homens para longe de sua terra natal. Aminata conheceu cedo demais os navios negreiros e da pior maneira possível. Sem família, sem roupas, com fome e longe de casa, a menina precisará fazer de tudo para sobreviver e cumprir o único objetivo que toma sua mente: o desejo de voltar para casa.
Tenho a pele brilhante e escura. Algumas pessoas a descreveram como preto-azulada. Meus olhos são difíceis de descrever, e eu gosto deles assim. Desdém, desconfiança, ódio – não queremos expor esses sentimentos. Alguns dizem que tive uma beleza pouco comum, mas eu não desejaria beleza para nenhuma mulher que não tivesse sua liberdade, e que não escolhesse os braços que a abraçam.
Página 14


  Em O Livro dos Negros acompanhamos a trajetória de uma sobrevivente dos piores e mais repulsivos atos humanos: a venda de escravos. Aminata, ou Meena, cresceu e envelheceu longe de Bayo, acompanhando e sofrendo com as marcas que sua cor de pele determinou. A mulher conheceu os homens brancos e conviveu com eles, após ser vendida várias vezes. Uns eram melhores que outros, mas alguns eram verdadeiros monstros. Aminata passou por dificuldades inimagináveis ao ter sua feminilidade roubada quando foi estuprada pelo seu Senhor (dono dos escravos do navio que ela estava) e, mais adiante, foi separada do marido e teve seu filho vendido enquanto dormia.
  Observamos a história de uma mulher que lutou por sua vida até conseguir a liberdade almejada por todos. Ela passou por diferentes terras, conheceu diversas pessoas, realizou inúmeros trabalhos e se tornou uma das mulheres mais fortes e sábias de seu tempo. Depois de deixar seu lar, muitas vezes se esforçou para continuar aprendendo a ler e, posteriormente, foi ensinada a escrever por uma mulher que a acolheu em sua casa. O fato de saber ler e escrever lhe proporcionou numerosos benefícios que foram vitais para que ela recebesse ajuda e não perecesse.


Os abolicionistas podem até me chamar de sua igual, mas seus lábios ainda não pronunciam meu nome e seus ouvidos ainda não ouvem minha história. Não da forma como quero contar-lhes. Mas há muito que amo a palavra escrita, e vejo nela o poder do leão adormecido. Este é o meu nome. Eu sou esta. Foi assim que cheguei aqui. Na falta de uma audiência, escreverei minha história de modo que esta espere, como uma fera adormecida, com um coração pulsante e pulmões que respiram.
Página 93
  Após estar segura, livre e ter sua imagem reconhecida por tudo o que realizou, Aminata foi convidada por vários outros homens para se juntar à campanha abolicionista, de forma que pudesse contar sua própria história e impulsionar o movimento. E assim ela batalhou para nunca mais precisar presenciar o que viu nos navios negreiros e correu atrás da lei que proibia os seus de passarem por tais dores e humilhações.
  Nada do que eu falar parece ser o suficiente para expressar todas as emoções que esta obra me proporcionou. Eu ri com os diálogos de Aminata nos momentos em que tinha alguma paz, chorei com todo o padecimento enfrentado por ela e me emocionei demais com cada reviravolta dessa mulher que, apesar de toda a desgraça, deu um pontapé na morte para continuar a empenhar-se por seus direitos. O Livro dos Negros é uma história dramática que nos expõe a acontecimentos reais encarados por personagens fictícios e que, a cada página, nos mostra as atrocidades que a humanidade vem provocando através dos tempos, mas que, apesar de tudo isso, sempre terá alguém para estender a mão e trabalhar pelo bem-estar do próximo, independentemente de sua situação.
Eu sabia que o país receberia o nome de Estados Unidos, mas recusava-me a dizer este nome. Não havia nada de unido em uma nação que dizia que todos os homens eram criados da mesma forma, mas que, ao mesmo tempo, mantinham meu povo acorrentado.
Página 266


  Todos os personagens são incríveis de forma que é possível imaginar cada um contando sua versão da história. Nem todos os de pele branca eram vilões. Através do olhar de Aminata podemos perceber o que uma pessoa pode fazer contra os seus companheiros para sobreviver, quando esta se preocupa apenas com o próprio nariz. Muitos personagens entraram na vida da garota; iam desde pessoas que saíram de Bayo com ela até outras encontradas pelo caminho. Em vários momentos eu ficava com vontade de colocar todos em um abraço e dizer que ficaria tudo bem.
  A história é narrada em primeira pessoa, intercalando a estrada percorrida por Aminata para chegar onde está e o presente momento em que todas as batalhas estão vencidas. Lawrence Hill se baseia no documento histórico de mesmo nome para compartilhar a luta das pessoas para entrar no livro dos negros e conseguir sua liberdade. Todo o enredo é tão envolvente que, em uma noite, após terminar de ler, tive pesadelos ao imaginar que muitas pessoas enfrentaram tudo aquilo e nem sequer sobreviveram. O Livro dos Negros conta com relatos pesados e nada coopera para que a leitura se torne mais agradável. Sempre que achamos que as coisas vão melhorar para Aminata, mais alguma catástrofe acontece e sabemos que nada estará resolvido até que ela cumpra seu destino ao lado dos abolicionistas.



  O trabalho editorial realizado pela Primavera contribuiu para que a leitura se tornasse uma experiência maravilhosa. A capa, em preto e branco, chama a atenção para a linda mulher estampada e o título fica destacado em um laranja vivo. A diagramação é simples, mas encantadora. O livro é dividido em quatro partes, cada uma com cerca de quatro capítulos nomeados, e essas partes iniciam-se com uma página em preto. A fonte é de tamanho médio e as margens e espaçamento são de tamanhos confortáveis. O único ponto negativo ficou por conta da revisão, que deixou passar vários erros, mas isso em nada tira a grandeza do enredo.
  O Livro dos Negros é uma obra que recomendo para quem procura uma trama mais impactante e emocionante, com fatos históricos e conquistas importantes para a humanidade. Esse é um livro que carregarei para sempre comigo, contando para quem quiser ouvir tudo o que foi enfrentado por Aminata. É uma obra que, em minha opinião, todos deveriam ter a oportunidade de conhecer, pois as lições adquiridas são valiosas.

Avaliação:
5/5 + Favorito

Comentários

  1. A primavera editorial tem ótimos livros e esse com certeza também deve ser. Não conhecia esse título ainda, mas seus comentários me deixaram bem curiosa. Deve ser impactante e emocionante mesmo né.. e é bom que a história é narrada em primeira pessoa, facilita nossa compreensão.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi Linda, tudo no livro me interessou, principalmente a originalidade da trama, o cenário e este apelo à reflexão. Este é o tipo de livro que a gente não esquece fácil e eu mega te entendo por imaginar que o carregará no coração por muito tempo.
    Quero muito ler também e ter a mesma sensação.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Fernanda, tudo bem?
    Esse livro tem tudo pra ser maravilhoso e a cada resenha que leio dele fico mais convencida disso.
    A premissa da história por si só já é instigante e lendo sua resenha eu fiquei ainda mais interessada por essa obra.
    O livro deve realmente mexer com nossos sentimentos já que a personagem sofre muito durante boa parte da história.
    Quero muito realizar essa leitura e tenho certeza de que será maravilhosa e inesquecível.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  4. Oie, nossa, eu nunca tinha ouvido falar nesse livro mas já fiquei extremamente intrigada. A aminata parece ter uma história totalmente triste e que bom que ela encontrou força para lutar ao lado dos abolicionistas, acho que eu também gostarei muito dele e só pela sinopse e sua resenha vejo que é um livro que me marcaria e que eu gostaria de levar comigo para sempre, assim como você disse que fará.

    ResponderExcluir
  5. Que resenha maravilhosa!! Já tinha lido algumas sobre o livro, mas a sua foi a que mais me cativou e instigou a ler a obra!! Coloquei o livro nos desejados e, assim que tiver $$ sobrando, irei adquiri-lo, pois realmente estou curiosa. Adoro histórias assim e essa parece ser emocionante. Parabéns pela resenha!!! <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oiee ^^
    Que livro incrível! Acho que eu já tinha visto a capa dele antes, mas não me lembro direito. Parece ser uma história de apertar o coração, imagino que seja bem forte, e, ao mesmo tempo, sensível também. Já foi para a listinha, adorei a sua resenha :) Como eu também gosto de fatos históricos e de leituras emocionantes, acho que vou gostar do livro :)
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Fê, mulher, faz isso comigo não.
    Eu tô louca pra ler esse livro já tem um tempo e a Andreia já me prometeu ele pra resenhar no Fundo Falso, já estou me preparando psicologicamente pra essa leitura, acho que vou precisar e tu ainda me aparece com essa resenha que é um tiro e já me fez chorar, não sei nem como eu vou ficar quando acabar essa leitura, mas sei que eu quero faze-la com toda a certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Fernanda!
    Eu sempre choro quando leio livros que retratam a escravidão de negros. Eu choro, me emociono e tudo mais. Esse livro tem essa capa MARAvilhosa E EU COM CERTEZA, quero muito lê-lo. Não só pelo conteúdo, mas por tudo o que representa. A sua resenha está muito boa! Anotei a dica. <3

    beijo!

    ResponderExcluir
  9. Olá Fernanda,

    Esse livro parece ser bem interessante, porém eu não leria. Não pelo tema, mas pelo conteúdo. É uma abordagem que me toca muito, me faz chorar oceanos e geralmente não gosto de ter essas sensações a não ser que eu não tenha consciência de que aquela leitura me levará a isso.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oii!!

    Eu já vi algumas resenhas sobre esse livro mas ainda não tive a oportunidade de ler. Acho que a tematica é maravilhosa e acho que é uma leitura mega importante e que todos deveriam fazer.
    Só não farei no momento porque estou precisando de ler histórias com uma pegada mais leve e comica.
    Gostei muito da sua resenha. Bem escrita e detalhada :D Parabéns!!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Oi *--*

    Confesso que estou numa fase que estou correndo de livros mais fortes. Parece que se ler algo mais forte choro por cada ato. Só o titulo do livro já é bem impactante e você dizendo os mal tratos que a personagem passou cortou meu coração </3

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Fernanda, eu nunca li o livro mas morro de curiosidade com ele, parece ter uma trama muito cativante e emocionante, e acredito que é bem isso que estou precisando no momento. Realmente o assunto tratado nele é muito sério e real, essa foi a pior época, a venda de escravos. Não vejo a hora de conferir mais de perto a trama.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  13. OI!!

    Fernanda, a estória de Aminata por alguns momento pensei ser real. A escravidão, tortura, estupro e luta. Me impactei muito com esse livro e embora fictício quero me aventurar e guerrear junto com os personagens. Esse é o bom em visitar outros blogs, pois acabamos conhecendo essas preciosidades, e já estou empolgada e coloquei na minha estante no skoob. Beijos e muito, muito obrigada pela dica. Amei!

    ResponderExcluir
  14. Simplesmente amei a premissa do livro!
    Quero muito ler e conhecer melhor a estória de Aminata.
    Sabemos como os negros sofreram, e acho que sendo uma mulher negra, é o dobro de preconceito né... Quero conhecer a força dela!
    Ótima resenha!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  15. Acho que não tem como uma obra que trata de escravidão, que conta a história de uma menina sequestrada, estuprada, vendida, que com certeza sofreu abusos de todas as formas e ainda teve o filho vendido enquanto dormia não ter cenas bem pesadas... sinceramente, não tenho estômago para ler uma coisa dessas, acho que teria pesadelos por vários dias, não só em um. Muito raramente me disponho a ler livros com esse tema, porque são tão fortes e tão revoltantes que fico enlouquecida. Mesmo oferecendo lições valiosas, vou passar a dica. Mas que bom que o livro te marcou tanto.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  16. Meu deus, eu quero ler esse livro, como faz? Eu adorei a história de força com uma protagonista mulher e negra. E, gente, que capa maravilhosa é essa?! O título também tá espetacular, chama a atenção. To tão fascinada e eu ainda nem li o livro! hahaha Acho que esses tipos de livros têm que ser mais comentados, é um ensinamento para quem não sabe o sofrimento que os negros passaram e continuam passando, ainda que de uma forma mais disfarçada e amenizada. Se não falamos abertamente desses temas, a coisa é jogada pra debaixo do tapete. Por isso acho que todo mundo deveria ler, de preferência, leitura obrigatória de colégio!

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Eu gosto muito de histórias impactantes e esse livro chamou a minha atenção desde que o vi pela primeira vez, pois parece ser realmente muito bom. Eu fico imaginando o quanto deve ser doloroso ler tudo isso, mas ao mesmo tempo o quanto deve ser admirável ver o quanto os personagens são fortes. Enfim, é um livro que com toda certeza toca o leitor e eu espero ler algum dia.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  18. Olá!

    Este livro parece ser incrível! Apesar de todos os sofrimentos enfrentados pela Aminata e as coisas ruins que acontecem com ela e todos os negros, creio que deve ser uma leitura inesquecível. Acho muito importante lermos obras assim, que nos enriquecem e nos fazem mais humanos. Imagino o quanto deve ser triste a ponto de lhe causar pesadelos, mas leituras assim são essenciais para nosso crescimento intelectual e como pessoas também. Gostaria muito de ler este livro e outros livros com a mesma temática.

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  19. Menina, que história é essa, que livro é esse!? Já quero, e quero muito! Ache a premissa simplesmente bárbara. Só de ler a sua resenha já tive a maior das empatias pela personagem Aminata (adorei o nome dela também!), tenho certeza de que ao ler a obra a empatia será ainda maior. Gosto muito dessas histórias que tratam de temas abolicionistas. Adorei a dica!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  20. Uau! Eu realmente não esperava que o livro trouxesse essa carga de sentimentos. Confesso que estou surpresa com a resenha, ela realmente me deixou com uma grande vontade de conferir a historia. Espero poder ter a oportunidade o mais breve possivel.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  21. Tenho me impressionado bastante com o catálogo da Primavera. Fico feliz em conhecer cada veznmais as publicações e ver onquanto a editora está crescendo.
    Esse não seria meu estilo de leitura, mas sua resenha me fez pensar que é um livro interessante e que merece a atenção. Fiquei curiosa e com a sensação de que preciso arriscar a leitura.
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  22. Olá Fernanda,
    Senti os olhos cheios de lágrimas apenas por ler sua resenha. Fico imaginando o quão fascinante deve ser ler o livro.
    Acredito que, quando fizer a leitura do livro, a história mexerá muito comigo.
    Achei legal ela ter sido convidada para fazer parte do movimento e fiquei muito curiosa em relação a leitura. Dica anotada.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  23. Oi!
    Eu ainda não conhecia esse livro,mas sua resenha me deixou curiosa! A história da Aminata parece ser muito sofrida, mas também inspiradora. Com toda certeza vou querer ler sobre a luta e sobre como se desenrolou essa história. A capa é mesmo bem bonita.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Nossa estou impressionada, já havia visto esse livro, mas não sabia do que se tratava, eu achei a proposta do livro muito interessante e quero muito ler, adicionei a minha lista de futuras leituras. Gosto de historias inspiradoras, mesmo se tratando de um personagem fictício sabemos que é uma historia de fatos que realmente aconteceram, fatos que não podem ser ignorados. Adorei sua resenha, quero muito ler!

    ResponderExcluir
  25. Que vida sofrida teve Aminata Diallo!! Muito triste saber que a escravidão existiu, e ainda existe!! Penso que todos deveriam ler este livro! Serve até mesmo de inspiração a vida desta guerreira, em nenhum momento ela se curvou em meio a luta!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha #124 | China de Papel, de Fabiano Lima