13.4.16

| Resenha #53 | A Queda dos Anjos, de Susan Ee | Verus Editora

Exemplar cedido pela editora para resenha
A Queda dos Anjos
Fim dos Dias I
Susan Ee

Editora: Verus
Páginas: 279

Quando o mundo que conhecemos está prestes a ser arrasado, é preciso apostar tudo na redenção.

Sinopse: Os anjos do apocalipse chegaram — e vieram para aterrorizar a humanidade e acabar com o mundo moderno. Gangues de rua tomam conta do dia, enquanto o medo e a superstição dominam a noite. Quando anjos guerreiros sequestram uma menininha indefesa, sua irmã mais velha, Penryn, fará o que for preciso para salvá-la. Até mesmo um acordo com um anjo inimigo. Raffe é um guerreiro caído, que perdeu as asas. Depois de eras lutando suas próprias batalhas, ele é resgatado de uma situação desesperadora pela jovem Penryn, que concorda em ajudá-lo — desde que ele mostre a ela como encontrar sua irmã. Viajando por um mundo sombrio e perigoso, eles podem contar apenas um com o outro para sobreviver. Juntos, vão em direção à fortaleza dos anjos em San Francisco, onde Penryn arriscará tudo para resgatar sua irmã, e Raffe se colocará à mercê de seus piores inimigos pela chance de voltar a ser inteiro. [SKOOB]

  O mundo foi tomado pelo caos. O apocalipse chegou, mas não é bem como todos imaginavam. Criaturas aladas rondam o céu, aguardando suas vítimas saírem dos escombros. São os Anjos do Apocalipse. Dizimaram a população mundial, transformaram a civilização em uma anarquia, colocaram humanos contra humanos e provocaram o surgimento de uma nova forma de sobrevivência e destruição: o canibalismo. Os que conseguiram sobreviver tentam fugir das gangues de rua, que assolam durante o dia, e dos anjos, que circundam a escuridão, quando nem a mais valente gangue tem coragem de mostrar seus rostos.
  No meio de tudo isso está Penryn, uma garota que tenta desesperadamente sair do Vale do Silício – palco principal dos ataques dos anjos e, antes disso, seu lar – para salvar a si e a sua família: a irmã mais nova, Paige, que sofreu um acidente até hoje não explicado que a deixou paraplégica, e a mãe super descontrolada que foi acusada pelo acidente. Porém as coisas já dão errado quando elas colocam os pés para fora de casa. Normalmente as ruas deveriam estar vazias àquela hora da noite, mas a queda de um anjo acaba interrompendo o caminho das três.



  Raffe é um anjo que acabou criando inimizade com seus “colegas”. Uma briga nas ruas do Vale do Silício acabou custando suas enormes asas brancas. Jogado à própria sorte em um mundo onde apenas o braço decepado de um anjo é capaz de deixar alguém rico, qualquer um acharia que ali estava seu fim. Nessa confusão, Penryn acaba atraindo a atenção dos anjos assassinos sem querer e um deles leva sua irmã, deixando para trás apenas a cadeira de rodas.
Ajudo Paige a se levantar e a levo nas costas enquanto nossa mãe desce com a cadeira por três lances de escadas. Não gosto de sentir os ossos de minha irmã. Ela está leve demais até para uma garota de sete anos, o que me assusta mais do que todas as outras coisas juntas.
Página 6
  Aflita e determinada a encontrar a irmã, Penryn direciona sua ira ao anjo derrotado, mas acaba descobrindo que precisará ajudar o inimigo se quiser ver Paige novamente. Ela luta para salvar a irmã antes que seja tarde demais e ele tenta sobreviver o suficiente para poder ter as gloriosas asas de volta. Assim, contra a vontade de ambos, eles são obrigados a trabalharem juntos para alcançarem o que tanto almejam.
  No início, confesso que achei que não fosse gostar tanto da leitura, pois Penryn acabou por me irritar algumas vezes ao querer dar uma de heroína e espancar uma criatura da raça que está destruindo a face da Terra. Mas ao ir avançando nas páginas fui entendendo os atos impulsivos da garota. Em um lugar onde não se pode mais confiar em ninguém, as pessoas são capazes de tudo para permanecer ao lado da família. Com esse pensamento, durante todo o livro me admirei e emocionei com o amor de Penryn pela irmã e todos os sacrifícios que teve de fazer para encontrá-la.
O rosto bonito fica borrado à medida que minhas pálpebras ficam mais pesadas. Não durmo há dois dias, pois tive medo de perder a única chance que eu teria se o anjo acordasse e morresse na minha frente. Dormindo, ele parece um príncipe encantado ensanguentado e acorrentado num calabouço. Quando eu era pequena, sempre pensei que seria a Cinderela, mas acho que isso faz de mim a bruxa má.
Página 43
  Outro ponto alto do enredo foi o momento em que os personagens precisaram abrir mão das diferenças. Nos primeiros capítulos não fazemos ideia do porquê de Raffe estar sendo espancado pelos seus, uma vez que imaginávamos que anjos eram seres puros e pacíficos. O livro mostra um lado completamente diferente acerca do apocalipse e, assim, vamos descobrindo os obstáculos que fizeram Raffe virar um forte inimigo dos Anjos do Apocalipse.


  O livro é narrado em primeira pessoa por Penryn. A história foi tão bem construída que quase acreditamos que aquilo tudo poderia vir a acontecer. Os humanos não viraram escravos ao verem seu lar ser inteiramente destruído. Cada um achou sua maneira de viver. Um grupo treinado acabou por decidir que aquela submissão devia parar e acabou dando origem a uma resistência humana que pretendia revidar o ataque dos invasores. Mal eles sabiam que isso desencadearia mais guerras.
  Apesar de muitas vezes ter me estressado com Penryn, ela se mostrou uma personagem forte diante de tudo o que precisou passar. Ao ser capturada junto com Raffe no território da resistência, teve que protegê-lo para que ninguém descobrisse o que ele era. Nesse mesmo lugar, apanhou em uma briga com um soldado que achou que tinha o poder e foi assediada por outros. Ainda teve que, em muitos momentos, aguentar uma mãe esquizofrênica e misteriosa – e perigosa, ao que tudo indica – que acreditava estar sendo perseguida por legiões.
Meu cérebro se recusa a acreditar no que meus olhos veem, e tenta interpretar a cena como uma prateleira de bonecas descartadas. Meros tecidos e plástico, criados por um fabricante de brinquedos com sérios problemas de agressividade. Não consigo me convencer da ilusão e sou forçada a enxergar o que realmente está ali.
Nas paredes brancas, há fileiras e mais fileiras de crianças.
Página 237

  A edição do livro foi o que me decepcionou um pouco. A capa é linda, com detalhes destacados no fundo fosco, mas o que deixou a desejar foi a impressão das páginas. A diferença entre uma e outra é clara. Com isso estou falando da tinta usada nas fontes. Em alguns lugares encontramos letras fortes e borradas e, em outros, palavras falhadas, como se tivesse faltado tinta. Acredito que esse tenha sido o único ponto fraco de tudo. A diagramação é simples, mas agradável, e os capítulos são enumerados.
  Para encerrar, só consigo dizer a vocês que tentem ler a obra. Só quem ler entenderá todo o mistério e terror na jornada dos personagens. Eu só consigo ficar ansiosa pela continuação. O final de A Queda dos Anjos foi inesperado e surpreendente. Estou louca para saber o que acontecerá com eles – que, impressionantemente, não desenvolveram nenhum romance – e, quem sabe, conhecer melhor a mãe de Penryn e descobrir o que a tornou tão sombria – ela acabou sendo uma das minhas personagens favoritas!

Avaliação:
5/5 + Favorito

17 comentários:

  1. Oi Fer, tudo bem?
    Eu também li esse livro recentemente e apesar de não classificar como um favorito, achei a leitura bem válida. E assim como você também estou ansiosa pela continuação, mesmo porque o final foi mesmo bem inesperado e surpreendente. Sabe, a mãe de Penryn também me deixou bem curiosa. Adorei a resenha e me fez perceber novos pontos de vista que eu não tinha dado muita atenção.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi Fernanda, não sou muito de ler sobrenatural e acho que nunca li um com abordagem de anjos no enredo, mas esse aqui me deixou curiosa por causa do Raffe em função dele não per "perfeito". Acho que deve ser um personagem bem forte. E acho que vou curtir a Pennyn também, por ela passar pelas aventuras de forma forte. Enfim, quero muito ler.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ola!
    Essa temática de anjos me atraía muito no passado, mas hoje o não sinto vontade de ler livros assim.
    Gostei muito da sua resenha e acho que é um livro, os personagens foram bem trabalhados e a trama parece ser Boa. Vou comprar o livro para uma amiga, acredito que ela vá gostar.
    Em relação à edição isso é chato, espero que arrumem.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Ola!
    Essa temática de anjos me atraía muito no passado, mas hoje o não sinto vontade de ler livros assim.
    Gostei muito da sua resenha e acho que é um livro, os personagens foram bem trabalhados e a trama parece ser Boa. Vou comprar o livro para uma amiga, acredito que ela vá gostar.
    Em relação à edição isso é chato, espero que arrumem.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Esse livro me chama bastante a atenção, mesmo eu não curtindo tanto a temática de anjos assim. Mas esse livro tem sido muito bem falado, principalmente por seu roteiro e ambientação. E você ainda falou sobre os personagens serem bem construídos, então OPA fico com mais expectativa para lê-lo. É ruim quando a edição vem com alguns probleminhas, mas infelizmente acontece. :)
    Parabéns pela resenha!

    beijo!

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não costumo ler histórias assim, mas o fim dos dias é um tema que chama a minha atenção, por isso fiquei curiosa com esse livro em questão. Também fiquei animada ao saber que a personagem é forte e apesar dela ter te irritado no começo da leitura, imagino que não me irritaria kkkk Enfim, gostei bastante da dica de leitura.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  7. Eu tinha lido uma outra resenha e vi que a mãe e a irmã tinham problemas e no meio disto tudo ainda tinha uma guerra e fiquei pensando em o quanto poderia ser difícil para a protagonista! E me lembrei que tem Vivian contra o Apocalipse que não fala de anjosmas é o mesmo gênero que eu amei demais! Mas quando tem anjos assim depende muito da escrita para eu curtir!

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Fernanda! Tudo bem?
    Gosto muito dessa temática de anjos, mas nunca tinha ouvido falar sobre esse livro antes. Fiquei muito curiosa, ainda mais quando você disse que nenhum romance foi desenvolvido no livro. Não sou contra romance em histórias, mas acho que muitas vezes eles acabam sendo colocados de uma forma clichê e isso me desanima um pouco. A atmosfera do livro me pareceu um pouco sombria de acordo com a sua resenha, com isso de canibalismo e anjos atacando pessoas, eu realmente adorei. Também me senti curiosa para saber mais sobre a mãe de Penryn, pois sempre acho muito interessante esses personagens que são esquizofrênicos nas histórias. Espero que eu possa ler esse livro em breve e gostar tanto quanto você. Beijos! ^-^

    ResponderExcluir
  9. Oiii!!

    Fê, eu já li uns livros da editora e já peguei algumas obras com esses mesmos problemas na edição, o que é uma pena né?
    O enredo não me conquistou muito, já vi bastante obras com essa mesma premissa então eu não me sinto animada.
    Mas adorei sua resenha, está bem detalhada e escrita. Ah sim, a capa está maravilhosa!!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Oi Fernanda, sabe que eu amo tudo que é livro que fale sobre anjos e desde que vi o lançamento dele eu já fiquei super curiosa. Parece sim ser o tipo de livro que eu iria amar, ainda mais com um suspense junto. Sua resenha está ótima e super cativante!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  11. Também achei essa história muito bem construída, mas ao contrário do que aconteceu com você não me estressei com a Penryn não. Achei ela meio sem noção às vezes ao lutar com anjos, que são seres muito mais fortes do que ela, mas isso só fez com que eu admirasse mais a coragem da garota e o amor dela por sua família. Só que tive um problema sério com o livro: ele é sangrento demais para o meu estômago. Realmente não estava preparada para canibalismo, e isso tornou minha leitura complicada, apesar da fluidez da narrativa.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  12. Oi, flor.

    Eu já li varias resenhas positivas sobre essa obra e estou com muita vontade de ler. Aliás, eu só vou ler quando a editora lançar todos os livros da trilogia, visto que eu sou uma leitora muito ansiosa e odeio ficar esperando pelo lançamento da continuação. A trama tem elementos sobrenaturais bem legais e fico feliz em saber que você amou o livro.

    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oii, tudo bem?
    Fico muito feliz que você tenha gostado da leitura. Eu gosto muito de livros que envolvam anjos e esse tem uma premissa bem diferente. Eu acredito que iria gostar bastante da historia, principalmente por parecer que não tem um triangulo amoroso. Espero ter a oportunidade de o ler.

    ResponderExcluir
  14. Oi :D

    Gostei bastante da premissa deste livro. Ainda não o conhecia, mas já consegui concluir que preciso ler esta história e conhecer os mistérios. Se apenas com uma resenha eu já fiquei querendo conhecer os personagens e a história que os envolve, imagino que irei ser presa pelas páginas quando finalmente o ler.

    Estou em ansiosa, acho que nesta semana mesmo irei procurá-lo para comprar!

    ResponderExcluir
  15. Oie
    Puxa quando li as primeiras linhas da sua resenha fiquei tipo ual quero ter esse livro. Mas quando vi se tratae de canibalismo já dispensei a ideia, não tenho estômago para isso não. E recentemente desisti de ler Hannibal- a origem do mal porque não aguentei.
    Fica para a próxima dica!
    bj
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  16. Ei, tudo bem?
    Eu quero ler esse livro, principalmente depois de alguns comentários que vi. Adoro histórias sobre anjos e por esse mostrar um apocalipse diferente, já me deixou bem intrigada.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  17. Oi,
    eu até leio livros do gênero e amei essa capa desde o primeiro instantes, mas confesso que não tinha pensado em ler esse livro não. Mas depois de ler sua resenha. Ah, o que falar dela, extremamente apaixonada não consigo parar de pensar em dar uma chance ao livro. Como estou com um monte de livro na frente, vou esperar pra ver se encontro ele aqui na minha cidade, não vou nem procurar, mas se por acaso eu der de cara com ele não irei desprezar mais essa dica do destino hehehe

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir

© Psiu, vem ler!. Todos os direitos reservados.
Criado por: Fê Goulart.
Tecnologia do Blogger. | Voltar ao topo
imagem-logo