Li até a página 100 e... #1 | Os Verdadeiros Gigantes

Olá, pessoal!
   Hoje eu trouxe algo que há muito tempo eu queria fazer aqui no blog: o projeto "Li até a página 100 e...", criado pelo blog Estante Lotada. Já vi vários blogs fazendo isso, mas parei para ler mesmo quando entrei na postagem feita no blog Palácio de Livros. O objetivo da tag é responder a algumas perguntas a respeito da sua leitura atual, assim que chegar na página de número cem. Apesar de ter citado que eu sempre tive vontade de trazer a tag para o Império Imaginário, nunca o fiz pois sempre esquecia de responder as perguntas no momento exato, aí quando eu chegava no final do livro, não tinha mais vontade de responder nada, hahah. Mas enfim, aqui estamos com o primeiro Li até a página 100 e... com o livro Os Verdadeiros Gigantes, do autor Charles William Krüger.

OS VERDADEIROS GIGANTES – CHARLES WILLIAM KRÜGER

Primeira frase da página 100:
Seria interessante conversar com os moradores das cidades e vilarejos pelos quais passava.

Do que se trata o livro?
Trata-se de uma fantasia nórdica onde o anão Rodan deixa o reino de Darakar para trás pois pretende dar justiça a seu pai, que foi assassinado em batalha. Porém muitos pensam que isso não terá sucesso, pois ele não sabe quem é o assassino ou como poderia encontrá-lo. Enquanto isso, Darakar, junto com seus aliados humanos e povo élfico, se prepara para o que talvez venha a se tornar a maior batalha contra orc da história, uma vez que estes estão aparecendo cada vez em maior número e mais poderosos.

Sinopse:
Rodan é um anão, uma raça forjada pelas cicatrizes das guerras do passado. A sombra de uma nova ameaça surge, prometendo trazer uma era de terror e desespero para o reino de Darakar, mas Rodan não se importa. Ele tem uma missão.
Guiado pelas aparições em sonho de seu falecido pai, ele inicia uma jornada rumo a uma vingança improvável. Sem entendê-lo, seus amigos Garren e Drunnan partem tentando impedi-lo. Ironicamente, os destinos de Rodan e do seu povo são interligados por uma força sobrenatural, obrigando os anões a mostrarem sua coragem contra hordas de orcs e gigantes. Quando a ameaça se mostra mais poderosa do que se imaginava, o povo anão mostrará onde reside a verdadeira força. Mostrará quem são os mais valentes.
Mostrará quem são os Verdadeiros Gigantes.

O que está achando até agora?
Bom, considerando que 100 páginas é bem próximo do fim (153) e que a obra tem me encantado desde o seu prólogo, acho que posso dizer que está sendo uma leitura maravilhosa. Ainda não cheguei ao final (obviamente), mas começo a pensar que um próximo volume – mesmo que com uma história independente –, seria uma ideia fantástica.

O que está achando do protagonista?
O livro é narrado em terceira pessoa e os capítulos são alternados entre três histórias. Como toda história onde os personagens principais são anões, são pessoas demais para que eu fale sobre cada uma delas. No entanto, todos têm me fascinado, mas o que mais prendeu a minha atenção até agora foi Garren, um dos dois amigos que foram à procura de Rodan. Ele é um guerreiro excelente, porém em alguns momentos exerce uma postura mais sábia e fica de um jeito mais calmo. Fiquei pasma com algo que aconteceu a ele durante a busca pelo amigo. :'(

Melhor quote até agora:
Até chegar nesta página, já marquei muitos quotes que me agradaram, mas, sem dúvidas, o melhor deles foi algo que Rodan escreveu na carta deixada aos seus amigos, antes de partir, onde apenas pedia para que não o tentassem impedir de cumprir sua missão e muito menos que tentassem ir atrás dele:
'É muito perigoso', vocês devem estar dizendo agora. Pouco me importa! Sangue de gente melhor que eu foi derramado. Não tenho por que preservar minha vida sentando confortavelmente em algum canto esperando que os deuses façam alguma coisa. Na pior das hipóteses, vou morrer lutando. O que para mim seria uma honra.

Vai continuar lendo?
Absolutamente! Estou apaixonada pela criação de Charles e preciso descobrir o desfecho dessa trama.

Última frase da página:
[...] Armados com lanças curtas e escudos, zombaram da aproximação dos anões e, estranhamente, não fugiram.
        Este livro foi recebido em parceria com o autor e, em breve, a resenha será publicada aqui no blog.

Comentários

  1. Esse livro parece ser muito bom mesmo! Adorei a resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Fernanda.... fiz tanto essa tag e ultimamente ando esquecida dela... tenho lido mais continuações e não gosto de colocar. Bom eu tenho me interessado pela cultura nórdica... e achei a premissa desse livro bem interessante assim como os quotes que me deixaram bem curiosa... tenho a pretensão de ler... Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá. Não conhecia esse livro, mas nossa... só 153 páginas? Eu nem li mas ja tenho a impressão de que se fizesse iria querer mais e mais. rs
    Espero que o final te agrade, parece ser realmente um bom livro. Beijos
    SIL ~ Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro e sua postagem me deixou curiosa pela resenha, essa capa ficou legal e o título instigante.

    ResponderExcluir
  5. Eu não conhecia esse livro, parece ser uma ótima leitura, eu gosto dessa ambientação, gosto muito mesmo!!

    ResponderExcluir
  6. não conhecia o livro, para quem gosta do gênero até pode ser bom, mas eu não me senti atraída, eu gosto muito dessa tag da para se ter uma noção do livro bem no inicio.
    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Fernanda, gosto dessa coluna pois a uma prévia da leitura é sempre algo que nos questionamos quando chegamos no ápice do livro, mas a primeira vista não é o tipo de livro que a sinopse me conquistaria, mas quero muito ler a sua resenha final! Bjkas

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem? Eu não conhecia este livro e esta é umas das coisas que eu gosto nesta coluna, pois sabemos um pouco mais de um livro antes de ler. Do pouco que li eu gostei. Vou esperar a resenha.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bom?
    Esse não é o tipo de livro que costumo ler, mas gosto dessa tag justamente porque ela consegue dar um pouco de informação sobre determinada leitura.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha #108 | A Mamãe é Rock, de Ana Cardoso | Editora Belas Letras