Primeiras Impressões: Lexus – Paulo H. Bragança


Boa tarde, povo!

     A vida anda bem agitada agora que o blog está crescendo. Estamos conquistando cada vez mais espaço como blog literário e nosso trabalho é cada vez mais reconhecido. O apoio também aumentou com o crescente número de autores parceiros e eu não poderia estar mais agradecida por cada oportunidade. Por mais que a correria seja grande e eu sinta aquele friozinho na barriga, pensando que vou acabar esquecendo de alguma coisa, é gratificante saber que tudo isso é por uma boa causa e que estou cooperando com algo, então nada tirará minha alegria. Porém, como minha vida não é feita apenas do blog, também tenho trabalhos escolares, calendário de provas e trilhões de outras coisas, então quero me antecipar no pedido de desculpas caso algum dia eu vacile com a data das publicações. Darei o meu máximo para sempre manter o blog atualizado para vocês.

     Mas vamos ao que realmente interessa. Certo dia, não me lembro bem o exato, o autor Paulo Henrique Bragança publicou uma promoção em alguns grupos literários no Facebook. Consistia em ler os primeiros capítulos de seu mais recente lançamento, Lexus – O Despertar da Escuridão, e publicar as primeiras impressões, assim como nossas expectativas em relação ao livro, no blog, página, canal ou qualquer outra rede social. Como eu estou namorando a obra há algum tempo, não deixei passar a oportunidade e entrei em contato com o autor. Ele retornou meu e-mail com o pdf dos dois primeiros capítulos e logo iniciei a leitura. Terminei ontem e tratei de trazer minha opinião. Então, vamos lá conhecer essa obra que promete ser incrível. 

Título: Lexus – O Despertar da Escuridão
Autor: Paulo Henrique Bragança
Editora: Arwen
Sinopse: A cidade de Campos Elíseos parece o paraíso na terra; escolas de qualidade, sistema de saúde exemplar. Um verdadeiro símbolo de prosperidade. Bianca, uma adolescente de 17 anos vive lá com sua família. Seus pais trabalham no Laboratório Lexus, principal responsável pelo desenvolvimento da cidade. Certo dia, os pais de Bia precisam viajar a negócios. Influenciada pelas amigas, Bia resolve dar uma grande feste, mas algo muito mais assombroso acontece naquela noite; a cidade sofre um atentado terrorista. Criaturas começam a surgir das sombras e o terror se espalha pela cidade. Conseguira Bia sair daquele inferno e salvar as pessoas que ama? E seus pais, o que acontecera com eles? Uma história de zumbis que arremete aos grandes clássicos do cinema e dos videogames.


     Lexus nos traz a história de Bianca, garota residente de Campos Eliseos. A cidade onde mora é considerada o paraíso na Terra. Sinônimo de qualidade e desenvolvimento, a cidade possui um dos maiores índices de per capita do país, com o melhor sistema de ensino e de saúde. Campos Eliseos foi construída para dar suporte ao LEXUS, um gigante laboratório dedicado exclusivamente à ciência, e, até os dias atuais, é motivo de inveja dos moradores vizinhos. Bia, como era chamada por todos, é uma adolescente comum, com um dia-a-dia voltado para as redes sociais e, por obrigação, frequentando a escola, típico de pessoas de 17 anos. Filha de pais amorosos e irmã de um garoto que adorava irritá-la, ela foi a culpada pela cicatriz que fez os amigos de Lucas o chamarem de Harry Potter. Também é capitã do time de futebol feminino do Centro de Ensino de Campos Eliseos e vê em Anna e Renata sua representação de amizade. Influenciada pelas amigas, Bianca resolve realizar uma festa em sua casa, aproveitando que os pais estão de viagem, e é aí que o capítulo termina.
     No prólogo do livro, somos apresentados a uma transmissão feita pela Base Naval, através do Líder Alfa. Ao que tudo indica, um atentado terrorista desconhecido está prestes a acontecer. Não se sabe nada a respeito de quem irá atacar e muito menos quais as armas certas para a defesa. Tudo o que se imagina é que há chances de uma grande guerra biológica. Os moradores da cidade são avisados a procurarem abrigo e manterem a compostura na presença de qualquer ameaça. Esse prólogo me deixou tão ansiosa para ler o restante da história que senti vontade de xingar o autor por não ter me enviado a obra completa, mesmo que essa não tenha sido a proposta.



     Nessa degustação enviada pelo autor, podemos apenas ter uma ideia de quem seja Bianca, seu relacionamento com família e amigos e como é sua vida tranquila na, até então, perfeita cidade. Imagino que seja uma espécie de explicação e preparação para o que ainda está por vir e para que possamos entender a importância de Bianca para a história. Se eu já não houvesse lido a respeito da obra, poderia supor, pelos dois primeiros capítulos, que essa seria mais uma história clichê sobre uma garota que acorda todos os dias para ir à escola, curte rock, dá festas enquanto os pais estão fora e briga com o irmão. Mas a sinopse e o prólogo criados por Paulo Henrique são significativos o suficiente para deixar o leitor louco de ansiedade para ler o tal atentado que trará todo o terror ao enredo.
     O único ponto que me deixou intrigada é o mesmo que venho encontrando em outras obras: a paixão das personagens, sejam elas meio dark ou não, por bandas de rock do tipo Guns N' Roses, Aerosmith, Metallica e por aí vai. Reconheço a fama de cada uma dessas bandas, porém às vezes parece que só existe rock no gosto musical da personagem. Porém, apesar de me incomodar um pouco, isso em nada prejudicou meu apreço pela obra e pela escrita do autor. Se antes eu estava curiosa, agora estou enlouquecendo enquanto aguardo a oportunidade de desfrutar do livro Lexus até a última página.
     Eu já tinha uma ideia de que a história era boa, mas agora estou ainda mais aflita. Minhas expectativas estão lá em cima em relação ao enredo e também preciso conhecer melhor a escrita de Paulo Henrique. Não tive muitas experiências com os lançamentos da Editora Arwen, mas posso dar a certeza de que eles sempre fazem um ótimo trabalho e capricham na finalização. A capa de Lexus nos dá uma ideia de como será o decorrer da história. Quem me conhece sabe que zumbis nunca foram minhas criaturas preferidas, mas acho que isso pode acabar mudando depois de ler O Despertar da Escuridão. Enfim, para finalizar, gostaria de dizer que, se você curte o gênero, não deixe de ler essa obra e, depois de fazê-lo, me conte o que achou antes que eu tenha um pequeno troço, hahah.

Comentários

  1. Olá, Fernanda!

    Fico muito feliz que eu tenha te deixado com uma pulga atrás da orelhas e até uma certa ansiedade. Se segura, mulher kkkk, e por favor, não me xingue. Logo, logo você poderá conferir a história completa.

    Agradeço muito o espaço no Império Imaginário e o carinho com a minha obra.

    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! Eu que agradeço pela chance de poder apresentar sua obra aqui em meu espaço! "Certa ansiedade" é pouco, kkkkk. Espero receber a oportunidade em breve. :3

      Obrigada pelo seu comentário aqui. Lhe desejo todo o sucesso!

      Beijos.

      Excluir
  2. É gostoso quando vemos nosso trabalho feito com tanto carinho ser reconhecido, né? *_* Parabéns!
    Esse livro parece ser bem diferente, curti muito a dica!

    Melhor tag kkkkk Adorei demais!
    Vou pensar em fazer! *_*

    Seguindo o blog!
    Beijos,
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o livro!
    Mas adorei sua resenha!
    A sinopse do livro já é convidativa!

    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha #108 | A Mamãe é Rock, de Ana Cardoso | Editora Belas Letras