Em Busca das Borboletas, Vol. 1 – Margarida Pizarro


"Espero que consigam sentir, ao ler esta história, o mesmo que eu senti ao escrevê-la." – Margarida Pizarro

• Livro cedido pela editora para resenha.

Título: Em Busca das Borboletas I Volume | 2ª edição
Autor: Margarida Pizarro
Editora: Chiado
Páginas: 444
Avaliação:
Sinopse: Maria Mendes, é uma luso-americana apaixonada por moda que decide mudar-se para Nova York em busca dos seus sonhos.Inseparável das suas melhores amigas Joan e Alicia, Maria vive uma amizade com laços profundos impossíveis de ser quebrados onde as suas vidas entrelaçam-se em momentos lindos e hilariantes.O seu mundo aparentemente perfeito e de paz é alterado quando conhece o sexy e irresistível futuro canditado a Mayor, Dale Sloan. Sem conseguirem evitar, apaixonam-se perdidamente vivendo uma intensa história de amor. Mas as diferenças entre os seus mundos podem ameaçar a sua felicidade, manchando com dúvidas o futuro a dois que eles tanto ansiavam viver. Será que o amor vence todas as barreiras?Um romance que nos faz entrar, ao mesmo tempo, no mundo mágico da moda e na realidade viciante da política americana.Alegria, drama, acção, suspense, diversão, paixão e muito amor numa história mágica que nos leva a rir e a chorar.
•                     •                     



     Em Busca das Borboletas é narrado, em primeira pessoa, pela nossa personagem principal, Maria Mendes. Maria é uma mulher sonhadora, de 22 anos, que vive em Nova York com os pais, mas é de origem portuguesa. Na cidade onde vive atualmente, ela conhece Alícia e Joan, que imediatamente se tornam suas melhores amigas, as quais carinhosamente apelida de mosqueteiras. Tendo a moda como uma de suas maiores paixões, seu sonho era conseguir um trabalho bem-sucedido no ramo. Assim como acontecia nos romances em que ela sempre lia, também sonhava em conhecer o famoso príncipe encantado que viraria seu mundo do avesso. E é quando Maria consegue uma vaga na famosa revista de moda Fashion, que ela vê seus sonhos começando a se realizar. Agora, em seu novo emprego, ela conhece Alan, um homem atraente e apaixonante, intitulado de “deus grego” por quase toda a agência. Eles vivem um breve e intenso relacionamento, mas que logo acaba por Maria perceber que não passava de mera atração e que não queria magoar o homem com a ilusão de um sentimento inexistente. Aquele não era seu príncipe.

     Diferente de suas amigas, que tiveram a sorte de serem geradas em berço de ouro e, posteriormente, obterem sucesso no amor, Maria não nasceu com regalias e luxo ao extremo, então é a vida que continua. Com muito esforço e dedicação, ela foi conquistando cada vez mais êxito em seu trabalho. Mas é claro que não demorou muito para que o homem certo, o cara que deixaria suas borboletas em constantes choques, aparecesse. E, ironicamente ou não, eles se encontraram na festa de casamento de Joan. Mas, como em todo bom romance, a relação dos dois não foi um completo mar de rosas e problemas começaram a ameaçar o casal. Dale Sloan, o sujeito, era candidato a Mayor e vinha de uma família de grandes nomes. Já se pode imaginar que isso não facilitará a vida da mosqueteira. Grandes tentações se apresentariam com o objetivo de interferir na vida dos dois que eram de mundos tão diferentes.
Ali estávamos nós a cantar deliciosamente as três, umas para as outras, esquecendo-nos por momentos de tudo o que nos rodeava. Aquele era o nosso momento, com o nosso hino da amizade e amor incondicional. Olhávamos de relance para os convidados e via-se perfeitamente a emoção deles, vendo-nos naquele momento tão amoroso e tocante. – Página 169
     Cada personagem tem uma personalidade diferente e marcante. Alicia sempre fora mais solta, vivia um amor a cada dia. Nunca foi de se prender a um relacionamento. Isso até encontrar Harry, um rapaz divertido que logo conquistou a garota. Ambos também se conheceram na união da terceira amiga. Joan já era calma, com um perfil angelical, raramente se estressando com algo. Das três, foi a que mais teve sucesso no amor, pois já a conhecemos quando está noivando, de tal modo que seu casamento com Thomas ocorre logo no início. Thomas não aparece frequentemente na história, mas foi um dos personagens que mais me cativou pelo jeito fofo com que trata sua esposa. Outros personagens, como os pais de Maria, Alicia, Joan e Dale, também tiveram presença confirmada no livro, mesmo que não constante, e todos conseguiram conquistar o leitor à sua maneira.


Toda a gente olhava agora para mim ouvindo aquelas palavras num misto de surpresa e repugnância por aquilo que Miss Grant me estava a fazer. Ela não conseguia sequer falar perante todos os gritos de Dale e mantinha-se calada. – Página 223
     Logo que conheci o catálogo da Chiado e vi essa obra, já me propus a procurar resenhas sobre tal. E foi na primeira lida que já me apaixonei pela história. Só via comentários positivos a respeito do lançamento da autora Margarida Pizarro. Então, assim que tive a oportunidade de firmar parceria com a editora, com certeza deixei reservado e garantido o meu exemplar. A experiência não poderia ter sido melhor. Claro que, em certas alturas do livro, me vi com dificuldades de entender a escrita da autora, considerando que ela é portuguesa. Mas o vocabulário não é muito diferente do nosso, então, depois de pegar o rumo da história, é mais fácil de entender o que está sendo falado.
     A escrita de Margarida é encantadora, me fazendo querer ler cada vez mais e ficar sempre ansiosa pelas próximas páginas. É um livro cheio de romance, amizade, apoio e uma pitada – consideravelmente grande – de intrigas. A única coisa que me irritou um pouco foi o fato de a personagem falar demais – quero dizer, demais mesmo – sobre suas borboletas. A cada situação diferente, suas borboletas estavam em um estado. Se ela encontrava Alan, o deus grego, as borboletas aceleravam o voo, mesmo depois de o relacionamento não mais existir. Então nem preciso citar o que acontecia com as coitadas quando Maria estava na companhia de Dale. Mas mesmo com tudo isso, foi uma leitura divertida. Eu poderia formar uma playlist com as músicas presentes no enredo, pois temos desde Ivete Sangalo, passando por Adele, Labrinth, Whitney Houston, a música gospel Oh Happy Day, David Guetta e indo até One Direction. E eu achei muito interessante essa variedade musical. Também é notável o conhecimento da autora sobre moda. As descrições dela a respeito de o que a personagem estava vestindo são incríveis, de modo que muitas vezes fui obrigada a pesquisar a vestimenta citada.



     Mas, apesar da recente descoberta do meu apego pelo gênero, também fiquei sabendo que não me dou bem com romances muito longos. Em algumas páginas, me vi cansada para continuar a leitura por motivos que ainda desconheço. Mas acho que isso é aceitável, considerando que é um de meus primeiros contatos com uma obra onde o foco principal é o romance. Quem gosta de tal, sem dúvida alguma se apaixonará pelos altos e baixos criados pela autora. Sou obrigada a confessar que todos os pontos foram muito bem elaborado.
     Em Busca das Borboletas – Volume I é o segundo livro da Chiado e primeiro internacional que leio. Também é o primeiro que vejo com alguns graves erros de revisão, fato que se tornou o único detalhe negativo de toda a obra. Alguns exemplos desses erros são: falta de pontuação em finais de frase e ações de personagens iniciadas com travessão, o que pode causar uma certa confusão. Porém, apesar de ficar um pouco incomodada com isso, estes acidentes em nada atrapalharam minha leitura. Chiado, mais uma vez, realizou um trabalho incrível. A obra da capa está magnífica, a separação de capítulos é ótima, as folhas são amareladas e a fonte é média. Tanto editora quanto autora fizeram uma produção excelente, me provocando uma ansiedade absurda para o próximo livro, que já está na minha lista de futuras solicitações – óbvio.

Comentários

  1. Olá!
    Que capa linda *-* Não conhecia esse livro e adorei saber mais sobre ele. Parece ser ótimo e pela sua resenha, acho que irei adorar!
    Beijos, Nathália
    www.livrosdagarotavermelha.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Oiii, estou completamente apaixonada pelo teu blog <3
    Que coisinha mais linda e fofaaaaaaaaaa, amei o livro, eu ainda não conhecia, mas achei muito legal, principalmente a capa <3
    Beijoos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Ainda não conhecia o livro, mas adorei a premissa!
    Bem o tipo de livro que gosto de ler, então sem dúvidas, vai para minha lista de futuras leituras.
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oiiiii... estou encantada por esse livro! E a sua resenha tá linda!
    Eu não conhecia essa autora, mas pelo que você descreveu o livro dela parece ser muito bom. Eu amei a capa tambem!
    A pouco tempo eu li um livro que também me encantou com várias cenas fofas, e o fato de você ter mencionado e até ter mosrado na sua resenha uns trechos, me deixou com mais vontade de ler
    Ah me chamou a atenção o fato do livro mencionar sobre moda, nunca li nenhum livro com esse assunto.
    bjokas

    ResponderExcluir
  5. Oláá
    Essa capa é uma graça, sou louca para ler o primeiro e esse também, a história é bem interessante e tenho ouvido muitos elogios, ótima resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    eu não conhecia o livro, e fiquei apaixonada pela capa, que é linda demais! Acho que o título tem mais sentido em inglês, já que "borboletas no estômago" é uma figura de expressão muito usada e comum, em relacionamentos, e é isso o que a protagonista deseja.
    adorei a dica
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Adoro romances. E livros, para mim, quanto maiores melhor! rs... Acho que ia gostar muito da narrativa, exceto por duas coisas: a personagem ficar falando tanto assim sobre suas borboletas, e os erros de revisão, que costumam me incomodar bastante. Mas fiquei curiosa para conhecer a história e também para ler um livro com o português de Portugal... vai para a listinha de desejados. Achei a capa mais que linda! *-*

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  8. Olá... tudo bem??
    Eu amo romances... adoro ler vários estilos, principalmente aqueles que mexem com os meus sentidos e me prendem... eu gosto dos romances mais bem escritos, então se for um pouco maior pra mim não tem problema... eu curti muito a premissa deste... com exceção da repetição da personagem falar de suas borboletas no estômago rs... eu gosto muito da forma que os escritores de Portugal escrevem, parece que já nasceram intensos.... adorei a dica... Xero!

    ResponderExcluir
  9. Olas Fe também solicitei esse livro decido aos elogios em cada resenha e a premissa me conquistou, e pelo visto estou certa a leitura é maravilhosa e fico feliz que tenha gostado da história, espero me encantar assim como você por esse lindo romance, será minha primeira leitura de uma autora portuguesa. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha #124 | China de Papel, de Fabiano Lima