Halo – Alexandra Adornetto


"Um amor que ultrapassa as barreiras do Céu e do inferno."

• A resenha pode conter spoilers.

Título: Halo 
Autor: Alexandra Adornetto
Editora: Agir
Páginas: 472
Avaliação
Sinopse: Nada de mais acontece na pacata Venus Cove, até o dia em que três anjos, Gabriel, Ivy e Bethany, são enviados do Céu para proteger o lugar contra forças obscuras que começam a surgir.
Disfarçados de irmãos, eles tentam levar uma vida comum. Gabriel torna-se professor na mesma escola à qual Bethany – a caçula – é enviada para estudar. Mas Beth, atrapalhada em sua inexperiência como ser humano, apaixona-se por Xavier Woods, o belo representante da escola. Uma situação que não só poderá comprometer sua existência como anjo, mas, principalmente, sua verdadeira missão. E tudo ficará mais confuso para Beth quando um garoto charmoso, sedutor e mortal chegar à cidade.
Eles terão de dar duro para ocultar sua verdadeira identidade e, acima de tudo, suas asas.
•                    •                    •



     Gabriel, Ivy e Bethany são anjos enviados à Terra, disfarçados de irmãos e que têm como missão se infiltrar entre os humanos, para garantir a paz, fazer o bem e proteger os moradores da cidade de Venus Cove. No início, tudo parece ocorrer bem. Gabriel, o arcanjo mensageiro de Deus e antigo guerreiro, tem papel de irmão mais velho e entra para a escola local como professor de música; Ivy, serafim abençoada com poderes de cura, se encarrega de agir na comunidade local, tocando os moradores da vizinhança e propagando o evangelho através de pequenos atos; e Bethany, a irmã mais nova, anjo inexperiente ao que se trata de viagens à Terra, que é colocada como aluna da escola para agir entre os jovens e aprender sobre a humanidade.

     Apesar de a história envolver os três irmãos, o foco principal é a jovem Beth, como é chamada, que se encanta pela vida humana, muitas vezes até se esquecendo de sua meta. Diferente de Gabriel e Ivy, que já realizaram várias missões, esse é o primeiro contato de Bethany com os humanos, o que muitas vezes é considerado um completo erro, já que a garota resolve vivenciar na prática o que é não estar no Céu. O livro começa de forma calma, já que o primeiro passo a ser dado é a adaptação ao novo corpo.
     Depois de se acostumarem com a vida terrena, eles partem para o que realmente vieram fazer. Ivy fica sempre em casa, conquistando pessoas com seu jeito calmo, Beth começa a frequentar a escola, tentando entender como tudo funciona e como a vida evolui, enquanto Gabriel, mesmo sem querer, conquista os corações das alunas com seu charme estonteante. Bethany é a única dos três que pode sofrer ferimentos em sua forma humana, então tudo é novo para a menina. 
Nossa chegada não saiu exatamente como o planejado. Lembro-me de ainda não ter amanhecido quando pousamos, porque as luzes das ruas estavam acesas. Esperávamos que nossa descida passasse despercebida, e quase passou, a não ser por um garoto de 13 anos que entregava jornais. – Página 9
     E é quando Xavier aparece que a história realmente começa. Com seu jeito alegre e misterioso, de quem não quer nada, com uma personalidade encantadora, que faz até mesmo o leitor se apegar a ele, o menino logo atrai a atenção de Beth, a deixando inquieta e deslumbrada. O que a deixa ainda mais preocupada é a onda de sensações que sente quando está perto dele, que também se vê atraído por ela, já que anjos não podem desenvolver fortes sentimentos ou criar laços com humanos. Mas, apesar de todas essas regras, os dois acabam se envolvendo, ultrapassando todos os limites entre um mundo e outro.
     O amor entre os dois é tão avassalador que Beth não consegue esconder sua real natureza e acaba revelando tudo ao jovem, desde suas enormes asas até o objetivo de sua vinda à Terra. Xavier, como eterno conquistador, permaneceu ao lado da jovem, entendendo a história e se relacionando – e garantindo ajuda – com os outros dois irmãos. Nessa parte, eu realmente não gostei das atitudes de Beth, pois muitas vezes ela parecia esquecer-se de seu propósito e Xavier intervinha com sabedoria, sendo mais responsável e inumano que o próprio anjo.


– Belo cachorro – disse Xavier.
Fez menção de tocar em Phantom, que farejou cautelosamente sua mão antes de esfregar o nariz nela com entusiasmo. Parte de mim tinha a esperança de que Phantom grunhisse, assim eu teria pelo menos um motivo para encontrar algum defeito em Xavier. Mas ele parecia passar por todos os testes sem nenhum arranhão. – Página 115
     Mas é claro que o livro não é apenas esse romance todo, apesar de ter constante presença na história. Os três irmãos passam por contínuas preocupações quando um aluno novo entra na escola e uma série de acontecimentos estranhos começam a surgir. Acidentes dos mais pequenos até mortes programadas levam eles a pesquisarem um pouco mais sobre a vida de Jake Thorn e suspeitarem de que ele é do lado oposto. Após terem quase certeza de que o homem era mesmo o príncipe das trevas, os anjos, juntamente com Xavier, começam a esquematizar planos que pudessem revelar as verdadeiras intenções de Jake. Mas é aí que a irresponsabilidade de Bethany fala mais alto e ela arrasta o namorado para um cemitério – lugar onde os irmãos acreditaram que Jake se reunia com seus seguidores – encontrando-o realizando uma espécie de ritual e confirmando qualquer dúvida que ainda pudessem ter.



     Eu demorei muito para conseguir terminar a leitura, pois sempre o largava quando chegava algum livro de parcerias, então acho que demorou mais de mês para que eu realmente conseguisse chegar ao final. Tenho que confessar que amei a história, por se tratar de anjos e demônios, mas também preciso dizer que em muitas partes a autora falhou um pouco. Acho que o romance entre Bethany e Xavier poderia ter sido esquecido um pouco, já que está presente durante a maior parte da trama, para desenvolver o personagem de Jake, que apareceu pouco no livro, ou até mesmo os outros dois anjos.
     Muitas vezes a ingenuidade de Bethany me estressou, mas acho que é aceitável, considerando a personalidade de anjo inexperiente. Tenho altas expectativas para os próximos livros, mas ao mesmo tempo tenho medo de que sejam parecidos com o primeiro. Vou começar Hades, segundo livro da série, com aquele desejo de saber um pouco mais sobre o lado oposto aos anjos e espero que possa ver isso, pois realmente seria interessante ver algo além da vontade de Bethany de ficar com Xavier passando por cima de tudo e desrespeitando qualquer regra da missão.
[...] Acredito que aquilo por que passamos serviu para nos ensinar um bocado a respeito do que é importante na vida. Acho que não poderíamos ter evitado, pois fazia parte da nossa história desde o início. Afinal, as coisas vinham correndo bastante bem, e era de se esperar que houvesse alguma pedra no caminho. Só não contávamos que ela fosse tão grande.  A pedra veio da Inglaterra e tinha nome: Jake Thorn. – Página 253
     Apesar de tudo isso, adorei a história e acho que, independentemente de qualquer coisa, a autora merece felicitações pelo sucesso de sua trilogia. Mesmo o romance não sendo minha parte favorita, amei o jeito como Alexandra criou esse envolvimento anormal entre anjos e humanos. Meu personagem favorito definitivamente é o Jake, pois a autora arrasou em todas as partes onde o personagem atuou.
     Eu não conhecia nenhuma obra da autora e nem lançamentos da editora, mas ambas fizeram muito bem sua parte na trilogia Halo. A diagramação está impecável e eu fiquei fascinada pelas imagens usadas na capa dos livros. Halo possui um total de 472 páginas, com folhas amareladas e fonte média. Os capítulos são separados por uma página em branco e o epílogo deixa aquela pontinha de curiosidade e ansiedade para o próximo livro.
     Definitivamente, é possível sentir várias sensações e emoções ao decorrer da leitura. Um pouco você quer dar uma surra em alguém e, logo mais, se vê aflito para saber o que irá acontecer. Romance, discussões, morte e salvação aprisionarão o leitor no que será uma experiência maravilhosa. É um livro que eu recomendo, sim, para aqueles que têm vontade ou interesse de conhecer essa nova dimensão. Sei que anjos tomaram conta de alguns livros, como Hush, Hush ou Fallen, mas não posso dizer se tem alguma semelhança entre as obras. Das três, Halo foi a única que realmente me conquistou, mas deixo isso a critério de cada um.

Comentários

  1. Olá Fernanda,
    Sempre tive vontade de ler Halo mas confesso que a preguiça de entrar mais uma vez nesse universo angelical falou mais forte desde que comecei a ler a saga Fallen e a leitura se tornou maçante, mas achei a premissa da história interessante.

    Bjos!
    luadeneon.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      Te entendo perfeitamente. Também tentei ler Fallen e não consegui. Achei a história meio "bleh" e por esse motivo tive certo receio de começar essa leitura. Mas, ao menos comigo, foi totalmente diferente. Me apaixonei por Halo.
      Obrigada pela visita!

      Beijos,
      Fernanda Goulart.

      Excluir
  2. Oie Fernanda!!
    Baixei esse livro há algum tempo, mas fico numa enrolação para lê-lo que só!! Mas agora com sua resenha me animou, mesmo com todo esse romance!

    Beijos,
    www.notavelleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Sempre vi esse livro mas nunca me interessei muito, acho que cansei de historia de anjos rsrs. Lendo sua resenha ate que fiquei com vontade de ler, fiquei muito curiosa para conhecer Gabriel e Ivy acho que iria gostar deles.

    Jesica - Coraçao leitor

    ResponderExcluir
  4. O trabalho da capa ficou interessante e o enredo parece legal, apesar de achar um pouco clichê. Gostei de sua resenha também, trouxe bem mastigado, mas sem dizer muito, na medida.

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Sempre tive vontade de ler Fallen,Halo só que sempre aparece um livro que quero ler mais e passo ele na frente dos outros, gostei da resenha e vou tentar finalmente ler ele.

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Eu tenho esse livro, mas até hoje não li. Babo nas capas da série, rs.
    Confesso que não sabia quase nada da história, e esse foi o motivo de eu não ter lido, pois pensei que seria mais um sobrenatural juvenil como tantos outros. Gostei de saber dos quatro anjos na Terra, e acho que vou gostar de acompanhar essas missões e o romance da trama. Protagonistas ingênuas me irritam demais (esse é outro motivo para eu evitar ler juvenis, ultimamente), então não sei como lidarei com essa, rs
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Faz um tempão que li este livro, confesso que esqueci um pouco do enredo dele, mas lembro que não gostei muito da Bethany, mesmo assim, o livro em si até que me agradou. Uma pena que acabei não dando sequência na leitura da série.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bethany também me deu nos nervos algumas vezes. Hahah. Não sei quando poderei continuar a trilogia, pois os livros de parcerias têm preferência na fila. Mesmo assim, estou curiosa pela continuação.
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  8. Olá Fernanda, tudo bom?
    Confesso que cheguei a comprar este livro uma vez e o troquei mesmo antes de lê-lo. Não sei sabe, tem algo nessa leitura que não me atrai... e isso de anjos caídos me irritou bastante em Hush Hush. rs
    Mas, anotei a sugestão ^^' Sua resenha ficou ótima ^^


    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha #108 | A Mamãe é Rock, de Ana Cardoso | Editora Belas Letras