10.3.15

Resenha: O Senhor da Luz


Boa noite, people.

Finalmente a resenha de O Senhor da Luz ficou pronta e eu corri para disponibilizá-la para vocês o mais breve possível. O primeiro livro da Saga de Datahriun é um dos poucos já lidos que faço questão que vocês conheçam. Ele contém uma história que te prende do início ao fim e, sem dúvida alguma, merece cinco estrelas em uma classificação. Quem tiver a oportunidade, tire um tempinho do seu dia para ler esta obra incrível. Te dou minha palavra de que você não irá se arrepender!
E é por isso que vim aqui hoje. Vamos encerrar a noite com a resenha desse fantástico livro. Mas antes de começar, gostaria de agradecer pelos 50 seguidores. Sei que são apenas números, mas isso é realmente importante para mim e é ótimo saber que estão gostando das minhas publicações.
Mas chega de enrolação e vamos lá.


Em uma jornada pelo destino de Datahriun, suas asas serão capazes de alcançar a luz?

Lícia se sentiu muito sozinha quando seu avô morreu, deixando uma chave e um pedido. Essa chave abria uma caixa muito poderosa, capaz de fazer viver, novamente, um planeta já morto: Datahriun. Porém, ela só poderia ser aberta por cinco chaves. Aquela era apenas uma delas, e o último pedido de seu avô era para que Lícia as reunisse e encontrasse os seus guardiões. Desse modo, eles poderiam fazer o que ninguém havia feito antes.
O Senhor da Luz é uma estória sobre sonhos, guerras, amizades, tristezas e amor. Uma saga insana pela recuperação de Datahriun, onde vivem criaturas misteriosas com poderes fantásticos.
Um lugar onde a magia é somente o começo!


Para vocês terem uma pequena ideia sobre o que senti quando peguei o livro em mãos e iniciei a leitura, não consegui mais parar.

No momento em que escrevi essa resenha no caderno, estava me deliciando no capítulo onze do livro, mas estava tão ansiosa para publicar a resenha para vocês, que comecei a programar os detalhes da história durante minha aula.

Antes de mais nada, quero fazer uma pergunta à vocês e ficarei extremamente feliz se a responderem nos comentários. Junto com a próxima postagem, trarei todos os comentários deixados e também publicarei lá na página do blog.



Isso aconteceu com Lícia, uma moradora igual a qualquer outra do clã kaniano.

Datahriun é um pequeno planeta existente em Drânia, clássica galáxia espiral localizada na constelação Ampardalis, provavelmente desconhecida pela raça humana.

Nesse planeta vivem incríveis criaturas mágicas, com poderes inimagináveis. São nove continentes que constituem esse mundo. Cada continente é habitado por clãs com poderes diferentes. Há somente cidades e vilas, sem divisão de países.

Lícia foi criada por seu avô, sendo ambos naturais de um desses clãs chamado Kan. Tinha a aparência como todos os outros moradores nascido no clã dos ventos: olhos dourados, cabelos da cor do fogo e grandes asas vermelhas saíam de suas costas. Se você for levado pelas aparências, Lícia não tem absolutamente nada a ver com os ventos, a não ser pelas asas, não é?

Se coração doía apertado, uma dor esmagadora que parecia lhe consumir toda a força que restava. 
Pag. 11

Seu avô partira com um único objetivo: queria que sua neta Lícia recuperasse as cinco chaves que abriam uma poderosa caixa capaz de reviver Datahriun, pois este está ficando cada vez mais destruído depois que Datah, o deus da luz e da vida, abandonou o mundo que havia criado.

A misteriosa caixa fora entregue à Selaizan, o mago mais poderoso da história de Datahriun, também conhecido como Senhor da Luz, pelo próprio deus pouco antes de o planeta ser abandonado. Selaizan distribuiu essa caixa, juntamente com as cinco chaves para cinco clãs diferentes e só pessoas de coração puro poderiam ser seus guardiões – um dos escolhidos foi o avô de Lícia.

A partir daí, várias aventuras aconteceram, com lutas, fracassos e, claro, sucesso. Assim que uma das chaves ficou na posse de Lícia, a garota do ar seguiu viagem para os clãs vizinhos e até para os mais distantes, a fim de encontrar os outros guardiões, reunir as chaves, atender ao último pedido de seu avô e salvar seu planeta.

Danka era a cidade mais rica de Kan, cujo portão norte abria-se para o mar, sendo um grande ponto de importação e exportação. No entanto, perdia para todas as outras em relação à beleza, pois seus muros eram completamente altos e com várias torres de vigia, o que impossibilitava os kanianos de ver o nascer ou pôr do sol. Era uma cidade escuta e melancólica.
Pág. 19

E, como toda história, essa também tem uma pequena pitada de romance. Mas essa porcentagem é mínima, o que me fez ficar ainda mais fascinada pela história, pois, diferente de muitas obras que já li, a aventura e a ação são, definitivamente, o ponto central da história.

Foi naquele dia em que trocamos as primeiras palavras. Foi até engraçado, estávamos os dois completamente sem jeito e conversamos sobre coisas banais como o tempo, a decoração ou as pessoas do baile. Antes de a festa acabar, e com vontade de ficar, eu fui embora.
Pág. 238

Mas como a maioria das obras, infelizmente essa também tem alguns pontos negativos. Pelo fato de o livro ser publicado por um selo da Novo Século, confesso que fiquei um pouco decepcionada com a revisão feita pela editora, pois os erros ortográficos são frequentes, indo desde a troca da letra ‘e’ por ‘w’, até a gravíssima troca de ‘mas’ por ‘mais’. A revisão deixou um pouco a desejar. Mas não é nada que realmente atrapalhe a leitura e muitas vezes os erros até passam despercebidos, a não ser que você inicie a leitura já os procurando.

Em geral, eu simplesmente amei esse livro com todas as minhas forças. Graciele se tornou uma de minhas autoras favoritas e, sem dúvidas, reservarei o volume dois da saga assim que ele for lançado.

Confiram o Book Trailer:

A única informação que a autora deu sobre o segundo livro foi o que postou em sua página no Facebook. Segundo ela, o livro já foi escrito e está nas mãos da editora. Não foi divulgado nome nem capa da obra em questão, então imaginem a minha ansiedade.

Então é isso. Espero que, tanto quanto eu, tenham ficado interessados por essa obra. E, se ficaram, leiam e me contem o que achou. Aguardo comentários com suas respostas para a pergunta feita.

Tenham uma boa noite.
Beijos, Fernanda Goulart.



3 comentários:

  1. Olá! :)
    Adorei a resenha e fico muito feliz que tenha gostado!!
    Vamos torcer para que o segundo livro seja publicado logo, rs.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Ooi !!
    Esse não é bem o meu gênero de livro favorito, mas gostei bastante da história.É muito envolvente.

    Quanto a pergunta, se seria a pessoa mais próxima a mim e alguém em quem eu confie, não teria medo de atender o pedido, pois saberia que a pessoa nunca faria algo para me machucar.

    Beijinhos :*

    ResponderExcluir
  3. Oii Fay, tudo bem com você?
    Como você sabe, eu também tenho o livro mas ainda não tive tempo para ler ele, e ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre ele, e ameii a sua, amei mesmo, e agora fiquei mega ansiosa para ler.
    Sobre sua pergunta, bom, eu tentaria realizar o último pedido dessa pessoa, nada mais justo.

    'Beijos da Jéss ♥
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir

© Psiu, vem ler!. Todos os direitos reservados.
Criado por: Fê Goulart.
Tecnologia do Blogger. | Voltar ao topo
imagem-logo