11.2.15

Resenha: 4 de Julho


Acho que bastante gente aqui já ouviu falar de James Patterson e suas obras de suspense. E, se eu fosse citar os maiores sucessos dele, a lista seria extensa, sem dúvidas. Pois é. Hoje a resenha é sobre um dos livros dele que é o quarto que integra a série Clube das Mulheres contra o Crime.
O Clube das Mulheres contra o Crime é uma das melhores séries de suspense de todos os tempos. Escrito de maneira ágil e envolvente, 4 de Julho comprova por que os livros de James Patterson sempre chegam ao topo das listas de mais vendidos nos países onde são publicados.
Mas primeiro quero dar mais uma boa notícia que recebi ontem pela parte da noite. Tenho certeza de que alguns conhecem a loja virtual Pai Bárbaro. Lá é disponibilizado desde colares à pulseiras e anéis literários por um preço bem acessível. Conseguimos parceria com a loja e recebemos o cupom de desconto para os leitores do Império Imaginário. Este cupom funcionará sempre, para todos os leitores do blog. Para receber o desconto, use o cupom ‘Imperioimaginario’. Visite a loja clicando aqui ou através da imagem na sidebar do blog.

Bom, agora vamos à esperada resenha.
Uma policial exemplar
A tenente Lindsay Boxer não podia vacilar: era matar ou morrer. Ela estava na mira de uma arma. Se não puxasse o gatilho da sua pistola, a Polícia de São Francisco perderia um dos seus melhores oficiais. Lindsay não teve dúvidas, afinal era legítima defesa. O resultado: uma adolescente morta, uma cidade dividida e a tenente no banco dos réus.
O julgamento que pode mudar uma vida
Antes de ser levada a júri, Lindsay resolve descansar na pitoresca Half Moon Bay. Mas não é exatamente descanso o que ela encontra. Uma série de crimes vem assustando a pequena cidade. Não há pistas nem testemunhas. Porém um detalhe intriga a tenente e pode ter ligação com um caso jamais resolvido.
As cartas já estão na mesa
Com a ajuda das amigas Claire e Cindy nas investigações, Lindsay corre contra o relógio para deter a onda dos assassinatos. Enquanto isso, conta com o auxílio da advogada Yuki Castellano para provar que é inocente da acusação que pesa sobre seus ombros.

Bom, eu ganhei este livro de aniversário de uma amiga que já foi citada aqui no blog como a melhor, a Lara. Confesso que, quando o ganhei, achei que não fosse gostar muito da história, pois a capa não chamou muito minha atenção. Se ela estiver lendo isso, espero que não me mate. Mas um dia depois de tê-lo ganho, eu comecei a ler e, de início, me interessei. Quando ganhei, ainda estava no início da minha coleção, então não havia lido obras de suspense. Eu ainda não li os outros livros da série, mas estou louca para comprar todos.
O livro inicia com um caso de homicídio. Lindsay Boxer é uma tenente, Chefe do Departamento de Homicídios da Polícia de São Francisco que, juntamente com seu parceiro, o inspetor Warren Jacobi, precisa passar por um julgamento que a acusa por má conduta profissional.
Em uma noite qualquer, depois de um longo dia de trabalho, a tenente vai para um bar se encontrar com suas amigas, Claire e Cindy. As três compões o Clube das Mulheres contra o Crime e também são melhores amigas. Neste grupo, também havia a amiga Jill, mas neste suspense ela não estava mais entre as outras três mulheres.
Depois de beber duas taças de margarita com as amigas, Lindsay recebeu uma ligação de Jacobi, que dizia ter encontrado o carro suspeito visto no local de um crime. Abrindo mão de seu restante de noite de folga, ela se encontrou com o inspetor, perigosamente ignorando o fato de que havia bebido. E é isso que a levará ao julgamento.
Uma longa perseguição se iniciou e, depois de um tempo, o carro perseguido perdeu o controle e a tenente conseguiu alcançá-los. Os dois adolescentes que estavam no carro, vendo-se em apuros, sacaram as armas que carregavam e deram disparos na direção dos policiais assim que encontraram a oportunidade. Em busca de defesa, a tenente atira de volta, sem realmente pensar nas consequências. Isso resulta em uma garota morta e um menino invalidado.
Enquanto ela aguarda o julgamento, Lindsay resolve passar um tempo na cidade Half Moon Bay, já que seus serviços como policial haviam sido dispensados enquanto as audições não fossem concluídas. Na cidade, ela fica sabendo de crimes brutais que vêm acontecendo com grande frequência. Chamando novamente as amigas, a tenente começa a investigar esses crimes e descobre que, de alguma forma, eles têm ligação com um caso não solucionado de 10 anos atrás. Nada disso é spoiler, não se preocupem.
No início da história, talvez a leitura seja um pouco confusa, pois o autor mistura propositalmente os dois casos: o julgamento da tenente e a investigação em Half Moon Bay. Mas nada que não se resolva no final.
O que mais gostei na obra foi que, mesmo a tenente Boxer reconhecendo seu erro, ela não se mostrou, em momento algum, intimidada ou abalada perante os acusadores. Lindsay confiou em seu trabalho e colocou a vida e a carreira nas mãos dos amigos e da advogada que a acompanharam nesse caso. Também admirei bastante a amizade da policial com seu animal de estimação, a cadela Martha, também sua melhor amiga e companheira.
O livro pode ser colocado no gênero romance pelo relacionamento que a personagem principal tem com Joe Molinari. Mesmo ele aparecendo raramente na história, resolvi citá-lo aqui. Devido seu trabalho, Joe quase nunca recebia folgas e, portanto, não podia visitá-la com a frequência que desejava.
Virei a cabeça com dificuldade para a direita e enxerguei aquele rosto lindo. Ele estava com a barba por fazer e suas pálpebras pesavam de cansaço e preocupação. Ainda assim, meu coração disparou ao ver Joe Molinari.
Infelizmente, por tê-lo lido há muito tempo, eu não tenho muito o que falar sobre esse livro a não ser que amei. É realmente um perfeito suspense. Toda a tensão da perseguição, do ato e do julgamento te prendem em uma leitura que flui facilmente. Se você tiver a oportunidade de ler 4 de Julho, agarre essa oportunidade, pois não irá se arrepender. E, se você já leu, deixe seu comentário dizendo o que achou.
Quero me desculpar por ter demorado tanto para voltar com as resenhas. Em breve, teremos mais dos livros que ganhei em sorteios e do livro que comprei da nossa parceira Graciele Ruiz. Também teremos uma resenha de O Hobbit e novas publicações do projeto Rotaroots.
Espero que gostem da loja Pai Bárbaro tanto quanto eu gostei. Quando forem comprar algum produto de lá, não esqueçam de usar o cupom do blog. Serei eternamente grata.
Tenham uma boa noite e que a Força esteja com vocês.

4 comentários:

  1. Oi, Nanda.
    Eu adorei esse livro e confesso que tive o mesmo pensamento que o seu a respeito da tenente. Ela não pestanejou e em momento algum ficou insegura. O medo dela foi de ter matado e de ter feito besteira, mas tudo isso para preservar a sua própria vida.
    Adorei como o autor conduziu a história.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de fevereiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  2. Ooi ! *-*
    Quando comprei o livro já tinha ouvido falar de James Petterson mas não tinha ideia do quão bom ele era.
    Sou apaixonada por suspenses e esse livro é maravilhoso.
    PS: A Martha é um amor u-u sjaosjoa

    Já falei que amo as suas resenhas né ? Eu amo. ><

    ResponderExcluir
  3. Oi ,Tudo bom ? Recentemente respondi uma tag , na qual indiquei seu blog .
    Espero que você responda e não esquece de me avisar para que eu possa ver há há !
    http://www.ameninadevidro.com.br/2015/02/tag-liebster-award.html

    ResponderExcluir
  4. Eu já tenho muito costume de ler suspenses/policiais e to looouca pra ler esse livro. Ainda mais pelo fato de ter uma protagonista forte e tudo mais, gosto demais de livros assim *-*

    Beeijos
    Que nerdisse Alice!

    ResponderExcluir

© Psiu, vem ler!. Todos os direitos reservados.
Criado por: Fê Goulart.
Tecnologia do Blogger. | Voltar ao topo
imagem-logo